Vereador de Feira presta queixa-crime contra museu por exposição: “afronta aos bons costumes”

Foto: Divulgação

 

O vereador de Feira de Santana, a 108 km de Salvador, Edvaldo Lima (PP) prestou uma queixa-crime, nesta terça-feira (30), contra representantes do Museu de Arte Contemporânea Raimundo de Oliveira (MAC) e da exposição “Chroma Skema” por “afronta aos bons costumes”.

“Registrei a queixa referente ao museu, quando aceitou uma exposição pornográfica e aberta ao público, aonde todos os cidadãos e cidadãs, inclusive crianças e adolescentes teve acesso, e nós não podemos nos calar e ficar omisso. Eu sou representante do povo”, disse, em entrevista ao BNews.

Ele também informou que irá impetrar uma ação cível no Ministério Público do estado (MP-BA) contra os mesmos denunciados na queixa-crime, Edson Machado, coordenador do museu, e Mike San Chagas, responsável pela obra.

“É uma afronta diretamente à população, à sociedade, os bons costumes. Não dá pra gente conviver com esse tipo de pessoa, que quer lesar a mente da população, principalmente de crianças e adolescentes”, afirmou.

“Fora de contexto”

À época que o vereador Edvaldo Lima publicou um vídeo atacando a exposição, o coordenador do museu, regido pela Fundação de Tecnologia da Informação, Telecomunicação e Cultura Egberto Tavares Costa –  órgão de administração descentralizada da Prefeitura de Feira de Santana, disse ao BNews que está surpreso com a polêmica criada pelo político.

“Há 23 anos no museu nunca isso aconteceu. A pessoa que fez esse vídeo colocou fora do contexto. É uma obra em que a pessoa pode interagir, oferecendo três opções de leitura. É uma obra composta por 32 peças, onde o artista está retratando a vida em várias situações. E o erótico faz parte da vida. As pessoas que frequentam o museu não viram nada demais”.

“Inclusive, colocamos a obra na sala da frente, onde os funcionários estão sempre atentos. E quando ocorria de um menor se dirigir a essa obra, nós não permitíamos, porque a obra só aparecia a cena quando a gente mexe. Só os adultos tinham acesso”

Também procurado pela reportagem, Mike San Chagas disse que não sabe o teor das declarações do vereador, mas que tomou todo o cuidado junto ao museu para que a exposição fosse feita de maneira respeitosa e não agressiva. “Acho que a pessoa vê pelo viés que mais chama a atenção”, pontuou o artista.

 

*BNews