Instituição beneficente que teve ‘geladeira solidária’ roubada em Salvador recebe doação para comprar novo equipamento

A Instituição Beneficente Conceição Macedo (IBCM), que teve a “geladeira solidária” roubada menos de 24h após ser instalada em Nazaré, bairro de Salvador, recebeu uma doação em dinheiro para comprar um novo equipamento.

O roubo da geladeira aconteceu entre a noite de segunda (29) e a madrugada de terça-feira (30). O eletrodoméstico estava na porta da IBCM, que fica na Rua Santa Clara do Desterro.

Conforme Alfredo Dorea, gerente da IBCM, responsável pelo projeto “Geladeira Solidária”, que recebe doações e disponibiliza alimentos de graça para moradores de rua, a doação foi realizada por uma mulher que não quis se identificar.

“A doação foi de uma senhora de meia idade. Ela disse que quer ficar no anonimato. Ela queria doar o equipamento, mas como tem que tirar as medidas para plotar, preferimos pegar o dinheiro para comprar. Vamos comprar ainda hoje. Ficamos feliz com a doação. A doadora disse que tem um grande carinho pela instituição”, revelou.

Segundo Alfredo, até a manhã desta quarta-feira (31), nenhum suspeito do roubo foi localizado, e nem a geladeira havia sido encontrada.

Equipamento foi roubado menos de 24h após ser instalado no local — Foto: Reprodução/TV Bahia

Equipamento foi roubado menos de 24h após ser instalado no local — Foto: Reprodução/TV Bahia

Apesar da doação, anunciada nesta quarta, ainda não há previsão para que o projeto original seja retomado.

“Nós estamos ouvindo parceiros, querendo fazer alguma instalação de câmeras de segurança. Enquanto a gente não tiver uma posição, não vamos colocar a geladeira na rua. Precisamos de monitoramento, de algum sistema. Hoje, a geladeira chega na instituição, mas ela só vai para rua assim que algum doador apontar uma solução de monitoramento”, afirmou o gerente da instituição.

Enquanto o equipamento não é instalado, a IBCM não interrompeu o projeto. Agora, eles contam com uma mesa e isopor para que as doações não sejam interrompidas.

“Enquanto a gente não disponibiliza a geladeira, colocamos uma mesa na porta. As pessoas colocam frutas. As coisas geladas estão embaixo, em isopor. Isso para não interromper o fluxo de doações. As pessoas estão doando”, revelou Alfredo.

Em 2015, a instituição tinha implementado a mesma ação, mas teve que cancelar depois que o motor da geladeira foi roubado.

*G1