“Achei que ia ficar com fome”, diz menino que quase foi impedido de comer em shopping

Foto: Reprodução

Com apenas 12 anos, Matheus Silva ficou “famoso” nesta segunda-feira (11/6). O motivo, contudo, não foi legal. Seguranças de um shopping de Salvador tentaram impedir que um dos clientes te desse um prato de comida. “Fiquei triste. Achei que ia ficar com fome”, conta o menino, estudante do 4º ano do ensino fundamental, ao Aratu Online.

Morador do bairro de Pernambués, ele explica que, junto com sua irmã, Amanda, de 14 anos, e o namorado dela,  Junior, vendem “de tudo” na praça do estabelecimento, e que costuma pedir comida a quem frequenta o local. “Já tentaram impedir outras vezes”, diz Amanda.

RESPOSTA:

Em nota, o estabelecimento condenou a postura dos funcionários da segurança e pediu desculpas pelo acontecimento. Confira na íntegra:

“O Shopping da Bahia vem a público pedir desculpas pelo ocorrido. A postura adotada não condiz com o treinamento recebido pelos funcionários, tanto que a atitude tomada pelo supervisor de segurança reforça o direito do cliente e o acolhimento com a criança. Reforçamos que nossa operação atua em alinhamento com órgãos de defesa dos direitos humanos, como o Conselho Tutelar e o Juizado de Menores. O empreendimento reforça ainda que, em seus 42 anos de história, sempre teve orgulho de manter uma relação de proximidade e respeito com seus clientes, valorizando a cultura e o povo da Bahia”.

Ministério Público da Bahia (MP-BA) instaurou inquérito para apurar a atitude do segurança. Com base nas imagens captadas por um vídeo gravado por outra cliente que estava no local, o MPE divulgou que irá apurar possível prática de racismo institucional. O acontecimento também será apurado pelo órgão na área de proteção da criança e do adolescente, que já recebeu representações enviadas ao órgão pelo Juizado de Menores e por estudantes de Direito.

Fonte: Aratu Notícias