Vitória começa mal contra o Inter, reage, mas perde no fim

Maurícia da Matta/EC Vitória)

O Vitória começou mal o jogo contra o Internacional, nesta quarta (30), no Barradão. Perdia por dois gols de diferença, quando mostrou belo poder de reação e empatou. Quando parecia que conquistaria uma virada triunfal a qualquer momento, o banho de água fria. No último minuto de jogo, os gáuchos fizeram 3×2.

Com muita velocidade e chances de gols para os dois lados, a etapa inicial de jogo foi frenética. O primeiro a oferecer perigo foi o Leão, com Neilton, mas Danilo Fernandes fez linda defesa e, no rebote, André Lima desperdiçou. Mas foi o Internacional quem saiu na frente do placar. O primeiro veio aos 24, quando Rossi rolou para Zeca e o lateral cruzou para Patrick. De voleio, ele estufou as redes e fez um golaço no Barradão.

O rubro-negro não se abateu e seguiu oferecendo perigo, mas levou um banho de água fria após uma infelicidade de Aderllan. Aos 38, Lucca recebeu na direita e cruzou. Ao tentar cortar, o zagueiro mandou a bola no fundo do gol, sem chance para a defesa do goleiro Elias.

Quando parecia que o primeiro tempo seria um verdadeiro desastre, as coisas deram uma melhorada para o lado do Vitória. Aos 42, Rossi foi derrubado na área por Kanu dentro da área. O próprio jogador partiu para cobrança e, num chute forte, isolou por cima do gol rubro-negro.

O pênalti desperdiçado pelo Inter revigorou o Leão. Três minutos depois, começou a reação. Wallyson cobrou uma falta com muita categoria, a bola ainda desviou em Zeca e morreu no fundo do gol de Danilo Fernandes. Foi um primeiro tempo que fez o Barradão pegar fogo. De apatia, nenhum torcedor pode reclamar.

Redenção
Na segunda etapa, quem foi vilão, se tornou herói. Os 45 minutos finais começou com muita correria e um Vitória mais organizado em campo e com maior domínio da partida. O Leão pressionou e quase empatou aos nove minutos, Wallyson cruzou na cabeça de Lucas Fernandes, mas a bola saiu fraca e o goleirão colorado conseguiu fazer a defesa.

Quatro minutos depois, a redenção. O zagueiro Aderllan, vaiado no primeiro tempo após fazer um gol contra, foi o responsável por empatar a partida no Barradão. Após cobrança de escanteio de Lucas Fernandes, o dono da cabeleira loura subiu mais alto que todo mundo e furou o bloqueio gaúcho.

Só dava Vitória. Aos 19, André Lima tocou para Wallyson, que soltou a bomba e obrigou Danilo Fernandes a fazer uma linda defesa. O Vitória era superior e criava muitas jogadas com Wallyson, que fez um dos seus melhores jogos do ano pelo Leão, mas tinha dificuldade na hora de finalizar. O Inter pouco criou, mas chegou a levar perigo com Nico López, meio sem ângulo. Sorte que o goleiro Elias tem bom reflexo e evitou o gol.

Mas quantidade de chances criadas não quer dizer nada. Aos 48, quando a virada rubro-negra parecia madura, Cuesta roubou a bola e lançou Nico López. O uruguaio disparou, ganhou da zaga e bateu cruzado. Elias ainda tocou na bola, mas ela morreu no fundo do gol.

O próximo adversário do Vitória é o Santos, às 16h de domingo (3/6), na Vila Belmiro.

*Correio