Seleção masculina sofre, mas vence o Irã na Liga das Nações

(FIVB/Divulgação)

A seleção brasileira masculina de vôlei sofreu mais do que o esperado, mas venceu o Irã por 3 sets a 2, com parciais de 17/25, 25/23, 19/25, 25/21 e 13/15, pela terceira semana da Liga das Nações, na cidade russa de Ufa. Apesar do triunfo deste sábado (9), o time comandado por Renan Dal Zotto deixou a liderança da competição.

O Brasil tem os mesmos 20 pontos da Polônia, mas leva desvantagem na média de sets. Portanto, ocupa o segundo lugar. A seleção volta à quadra na manhã de domingo (10), novamente às 8h30 (de Brasília) para enfrentar a China. Será o último jogo da equipe nacional nesta terceira semana da competição.

Com o resultado, a seleção masculina obteve o sexto triunfo consecutivo na Liga das Nações, sendo o sétimo no total. Antes, os brasileiros haviam batido Sérvia, Alemanha, Coreia do Sul, China, Estados Unidos e Rússia – perdeu somente para a Itália.

Renan Dal Zotto voltou a promover mudanças na equipe. Ele colocou William, Maurício Souza e o líbero Murilo na equipe titular. Wallace, Douglas, Lucão e Maurício Borges completaram o time no início da partida.

Com esta formação, a equipe começou melhor a partida e não teve problemas para abrir vantagem ao fazer 9/6. Depois, ampliou para 19/13 e fechou a parcial com oito pontos de vantagem: 25/17.

No segundo set, o início foi equilibrado. Mas, depois do empate em 12/12, o Irã passou a se organizar melhor em quadra e abriu vantagem para 18/15. Num momento de desconcentração dos brasileiros, os iranianos fecharam a parcial e empataram o duelo, exibindo melhor rendimento no bloqueio.

Irregular, o Brasil começou atrás no placar no terceiro set. Mas foi se ajustando no decorrer da parcial. Depois de estar perdendo por 3/6, os comandados de Renan viraram em 9/8, abriram 18/14 e voltaram a liderar o placar do jogo ao vencerem o set.

Mas as oscilações voltaram a dar o tom da atuação brasileira na quarta parcial. O Irã saiu na frente e não teve problemas para abrir frente, com 5/10, principalmente em razão dos bons saques de Farhad Ghaemi. Em seguida, fizeram 12/20 e fecharam o set quando o Brasil tentava reagir no duelo.

No tie-break, a seleção masculina voltou a sair atrás no marcador. O Irã fez 4/2, porém não deslanchou. O Brasil empatou em 4/4 e virou para 11/8. Acertando nos detalhes, o time liderado por Renan manteve a dianteira até fechar em 15/13.

Douglas foi o grande destaque brasileiro neste sábado ao terminar com 22 pontos, melhor marca da partida. Mas ele próprio admitiu o rendimento abaixo do esperado. “Foi um jogo muito difícil. Não jogamos tão bem quanto ontem, na vitória sobre a Rússia, mas o importante é que o grupo conseguiu se superar e sair com a vitória sobre o Irã”, considerou.

Para evitar novos sustos diante de seleções teoricamente mais fáceis, o jogador cobrou uma melhora de rendimento diante da China. “Sabemos que é preciso recuperar a consistência que vínhamos apresentando ao longo do campeonato, especialmente contra a China, que é mais um jogo complicado”.

*Estadão