Alvo de críticas no Fla, venda de Paquetá vinha sendo planejada desde o começo do ano

 

O plano de venda de Lucas Paquetá pelo Flamengo começou em janeiro de 2018, quando o clube aumentou o salário do jogador e definiu com ele e seus representantes que estava aberto a receber propostas, já com a multa de 50 milhões de euros. A oferta mais contundente foi a do Milan, clube com o qual Flamengo e atleta assinaram contrato de cinco anos nos últimos dias. A oficialização da operação ficará para o início de 2019, quando Paquetá se apresenta.

Durante toda a temporada, segundo a reportagem apurou junto aos dirigentes, houve tentativa de ofertar o jogador a outros gigantes da Europa, como PSG, Barcelona e Real Madrid, para satisfazer o plano do atleta de jogar fora do país. As sondagens que chegaram no primeiro semestre não atenderam os valores imaginados, e ficou combinado que os agentes fariam uma outra rodada do “leilão” no fim do ano. A decisão de não esperar o fim do contrato, válido até 2020, ou ao menos o fim da temporada, irritou a oposição do Flamengo em meio à disputa eleitoral.

Fato é que, em janeiro, o Flamengo aumentou pela segunda vez o salário de Paquetá, que pulou de R$ 60 para R$ 100 mil, com a mesma multa rescisória de 50 milhões de euros. Começava ali o plano de venda do meia-atacante, então com 20 anos, cujo contrato profissional foi assinado no início de 2016. Depois de virar contrapeso na contratação do goleiro Diego Alves, com preferência do Valência, Paquetá ganhou a titularidade no fim do ano passado e recebeu o aumento salarial, embora tenha ficado com valores muito abaixo dos medalhões do elenco, que recebem cinco vezes ou mais.

O temor da diretoria do Flamengo era que Paquetá não se consolidasse como um grande jogador, e se perderia uma boa oportunidade. Como se destacou, foi tentado um novo aumento e a renovação, recusados pelo agente Eduardo Uram, que pretendia fazer a venda, desta vez mais factível com a convocação para a seleção e boas atuações. O representante de Paquetá foi procurado, mas não retornou os contatos.

Fonte:Extra




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *