‘Não aguento mais cantar as mesmas músicas’, diz Luiz Carlos, do Raça Negra

                                                                                                                                            Reprodução: Instagram/ Arquivo Pessoal

 

Há mais de 30 anos na estrada com o Raça Negra, o vocalista Luiz Carlos admitiu em entrevista ao O Globo que sofre com a dificuldade em emplacar novas canções. Ele reconheceu que “o patrão” são os fãs, mas que já não “aguenta mais” cantar sempre os antigos sucessos.

“Por mais que eu tenha fundado o Raça Negra, não aguento mais cantar as mesmas músicas”, confessa ele. “O nosso patrão são os fãs, então temos que fazer a vontade deles. Porque música nova, tem aos montes”, explica.

O cantor diz que é comum que nos shows o público sempre peça para que toquem as canções mais conhecidas. “Você não vai cantar ‘Cigana?’ Não vai cantar ‘É tarde demais’?”, lembra o artista.

Atualmente, o hit “Cheia de Mania”, samba-rock lançado em 2000, é música tema da personagem Maria da Paz, interpretada por Juliana Paes na novela “A Dona do Pedaço”.

Sobre a nova aposta da banda, a música “Nego Lindo”, Luiz Carlos não de diz preocupado com a possível polêmica em relação à possíveis conotações raciais.

“Acho uma grande gozação. O povo tem mania de falar: “Ô, meu nego”. É uma forma de chamar as pessoas carinhosamente. Não há essa conotação racista, porque assumo o que sou, minha cor e minha raça”, minimiza ele.

“Já me perguntaram até do nome da banda, Raça Negra. Não tem conotação política, social e nem racial. Lembra minha mãe, porque era a única mulher que me achava lindo. Vão dizer: “Mas esse negão é metido, não?” ,brinca o cantor.

*Bahia.Ba