Ex-prefeito de Eunápolis vai a júri popular por assassinato de radialista

Depois de mais de 20 anos, o ex-prefeito de Eunápolis, Paulo Dapé, vai a júri popular pelo assassinato do radialista Ronaldo Santana. O julgamento começou na manhã da segunda-feira 14, e a expectativa é que o caso seja encerrado na quarta-feira 16, no Fórum Albiani.

Segundo o Ministério Público, o atraso ocorreu devido a diversos pedidos de adiamento concedidos pela justiça. Além do ex-prefeito, estão no banco dos réus, ex-funcionários da prefeitura na época, o atual vereador da cidade, Valdemir Batista de Oliveira, o bancário Antônio Oliveira dos Santos e a sacerdotisa Maria José Ferreira Souza, conhecida como Maria Sindóa.

O radialista Ronaldo Santana foi morto a tiros no dia 9 de outubro de 1997, quando ia para a Rádio Jornal de Eunápolis, onde trabalhava. Os disparos foram feitos pelo ex-policial militar Paulo Sérgio Mendes Lima, que foi condenado em 2002. A partir dele, os outros suspeitos foram apontados como mandantes. A motivação do crime teria sido as críticas feitas pelo radialista à administração municipal de Paulo nos seus programas.

Radialista fazia críticas a gestão municipal
Radialista fazia críticas a gestão municipal

*ATarde