Justiça condena 25 integrantes do PCC a 706 anos de prisão

Foto: Ebc

A justiça de Minas Gerais condenou 25 suspeitos de integrarem a facção Primeiro Comando da Capital (PCC) a 706 anos de prisão. Eles foram acusados de realizar ataques em cidades no interior do estado. O grupo já respondia por organização criminosa, porte de arma de fogo, associação para o tráfico, incêndio criminoso e dano contra ônibus e prédios públicos.

As penas variam entre 22 anos e 8 meses e 32 anos e 2 meses em regime fechado. Somadas, passam de 706 anos de prisão. O grupo é composto por 24 homens e uma mulher, que, segundo investigações, se organizavam de forma ordenada desde novembro de 2017 com o intuito de obter vantagem indevida através de tráfico de drogas, incêndios e danos ao patrimônio.

Apurou-se ainda que os réus eram responsáveis por determinar aos demais integrantes da organização que cometessem atentados contra a vida e a integridade de agentes públicos das forças de segurança, crimes de incêndio e dano, especialmente em veículos de transporte coletivo e edifícios públicos, expondo a perigo a vida, a integridade física e o patrimônio, tudo como forma de demonstrar força e espalhar o terror para obter poder de negociação com o Poder Público, especialmente no sistema carcerário, além de se dedicar ao tráfico de drogas no estado.

*VN