Número de mulheres que engravidam depois dos 40 anos aumenta 15% na Bahia, aponta IBGE

O número de mulheres que estão engravidando depois dos 40 anos aumentou em 15% por cento, na Bahia, entre os anos de 2006 e 2016, segundo um estudo divulgado nesta terça-feira (14) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Conforme apontou os especialistas envolvidos na pesquisa, as mulheres estão adiando a maternidade pois, além do avanço da ciência que garante segurança para quem quer ser mãe depois dos 40 anos, elas estão estudando mais e investem primeiro na consolidação da carreira profissional.

“Não só uma possibilidade trazida pelo aumento da expectativa de vida, mas também pelas técnicas mais modernas de assistência à maternidade e da medicina, que possibilitam ter filhos mais velha”, explicou analista do IBGE, Mariana Viveiros.

Na maternidade pública José Maria de Magalhães Neto, em Salvador, onde nascem 650 bebês por mês, 5% dos partos são feitos em mulheres acima dos 40 anos. Apesar do crescimento no número de mulheres que engravidam depois dos 40, a obstetra Andreia Queiroz chama atenção para os cuidados que a mulher deve ter. “Mulheres que têm filhos mais tarde têm uma tendência maior de ter parto prematuro, hipertensão gestacional, diabetes no decorrer da gravidez, além de outros riscos. Então é preciso planejar. É preciso fazer sempre um bom pré-natal para o acompanhamento desse momento”, alertou.

Entre as mulheres que optaram por engravidar a partir dos 40 anos está a cantora Ivete Sangalo. Aos 45 anos, ela esbanja energia e exibe com orgulho a barriga de gêmeas.

A agricultora Lindaci Santos de 43 anos também faz parte desse grupo que teve uma gestação após os 40. Ela foi mãe pela segunda vez 13 anos após a primeira gravidez. Lindaci conta que não planejou ter outro filho e que ficou até preocupada com a gestação. “Eu tenho uma família muito unida e que pensa muito positiva, então todos ficaram dizendo que ia dar tudo certo”, contou.

A professora Luciana Matos, de 46 anos, também já é mãe de uma jovem de 21 anos. Ela não esperava entrar em outra gestação, mas engravidou de Benício, que está com três meses. Luciana diz que queria outro filho e que não pensou em riscos.

“Eu não tive preocupação nenhuma. Benício é o símbolo do amor, do carinho, ele é um sinal de que tudo é possível. É muito bom recomeçar. A família toda está contagiada pelo amor, por ele”, declarou Luciana.

Fonte: G1




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *