Em ‘trote’, calouros da Uefs são obrigados a pagar taxa e publicar foto com a palavra ‘burro’

Estudantes calouros da Uefs, na Bahia, são obrigados a mudarem capa de perfil do facebook com imagem em que dizem que são “burros” (Foto: Reprodução/Facebook)

Os calouros do curso de Engenharia Civil da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), cidade a cerca de 100 km de Salvador, foram obrigados a trocar a imagem da capa do Facebook por uma foto com a seguinte frase: “Sou calouro burro de Civil e devo submissão total aos meus veteranos”. O ato faz parte de um trote realizado em março deste ano, conforme denúncia feita à ouvidoria da instituição nesta quinta-feira (5).

A foto de capa do Facebook do alunos alvos do trote ainda traz a ilustração de um estudante veterano sentado em um “trono” feito de tijolos, enquanto diversos burros, que representam os calouros, estão embaixo como se fosse o público. Além da mudança da foto de capa, os estudantes foram obrigados a colocar no perfil da rede social o nome verdadeiro depois da palavra “bixete”.

Durante o trote, os homens tiveram os cabelos raspados, todos foram pintados de roxo nas primeiras semanas de aula e ainda tiveram que colocar fotos no perfil do Facebook em que estão pintados e têm placas de mensagens depreciativas penduradas no pescoço. “Bixo burro”, tinha dizia em uma delas.

Calouros da Uefs foram alvos de trotes no 1º semestre deste ano, onde foram pintados e usaram placas (Foto: Reprodução/Facebook)

Calouros da Uefs foram alvos de trotes no 1º semestre deste ano, onde foram pintados e usaram placas (Foto: Reprodução/Facebook)

As exigências feitas pelos veteranos não atingiram apenas as redes sociais dos calouros. Os novos estudantes também foram obrigados a pagar uma taxa de R$ 50 para participar de uma festa.

Por meio de nota, a administração da universidade informou que o trote estudantil é proibido e repudia qualquer atividade que envolva ou incite agressões físicas, psicológicas ou morais.

A instituição informou, ainda, que diante da primeira denúncia oficializada através da ouvidoria da universidade, nesta quinta, o caso será apurado. Os responsáveis serão identificados, e podem ser advertidos verbalmente, serem suspensos ou até desligados da unidade de ensino.

E-mail que os veteranos enviam para que os calouros da Uefs executem as "ordens" deles  (Foto: Reprodução)

E-mail que os veteranos enviam para que os calouros da Uefs executem as “ordens” deles (Foto: Reprodução)

Ainda referente ao trote dos novos estudantes do curso de Engenharia Civil da Uefs, a denúncia apontou que os veteranos faziam exigências aos calouros por e-mail. Logo no início da mensagem tinha escrito: “Calouro burro não reclama, obedece”. Quem se opõe sofre ameaças por mensagens e na instituição. “Pra quem tá criando legião de fãs aí pra não pagar o dinheiro, fica esperto, a gente se bate pela Uefs”, diz a mensagem.

Segundo a denúncia feita à ouvidora da instituição, até o fato de um calouro usar um boné foi motivo para uma ameaça feita por um veterano, através de comentário no Facebook: “Se eu ver usando, vou tomar! Repassa aí no grupo da sala, tá proibido usar boné/toca”.

Postagem de estudante veterana da Uefs que também fez publicação dizendo que era burra em setembro de 2017 (Foto: Reprodução/Facebook)

Postagem de estudante veterana da Uefs que também fez publicação dizendo que era burra em setembro de 2017 (Foto: Reprodução/Facebook)

*G1