Instituições de ensino são pichadas com frases preconceituosas em vários locais do Brasil

Foto: Reprodução / Twitter

Uma mensagem de ódio foi pichada na porta do banheiro da Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo. “Bolsonaro vai limpar essa faculdade de preto e viado”, seguido do número 17, que representa a candidatura do presidenciável. Abaixo do número ainda estava escrito “preto vai morrer”.

Outras mensagens de cunho machista, racista, homofóbico e preconceituoso contra diferentes grupos têm se espalhado pelas faculdades, universidades e escolas de todo o país, de acordo com a Jovem Pan, a exemplo da  Universidade São Judas Tadeu, no Butantã, do cursinho Anglo Tamandaré e o Colégio Franco-Brasileiro.

No curso do Anglo Tamandaré, no bairro da Liberdade, em São Paulo, as pichações diziam “Bolsomito 17. Morte aos negros, gays e lésbicas. Já está na hora desse povo morrer!”. Na Universidade São Judas Tadeu, no Butantã, foram escritas nas paredes frases como: “Vão se f**** seus negros e feministas de merda, gays do demo, burn jews (queime judeus)”, além de uma grande suástica, símbolo do nazismo. Em outro local da instituição foi escrito “ideologia de gênero é o c******”.

Segundo o portal da Jovem Pan, a Universidade São Judas afirmou que uma vistoria foi feita no local para que as pichações fossem removidas. A Faculdade de Direito de São Bernando do Campo, por sua vez, afirmou estar entristecida após tomar ciência do ato de racismo e homofobia. A coordenação do curso Anglo publicou uma nota oficial sobre o caso em que chama a atitude de “covarde e belicosa” e repudia as pichações.

Fonte BN