Comissão do governo vai pedir desculpas à família do presidente da OAB morto na ditadura

Foto: Redes sociais/Reprodução

 

Vinculada ao Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, de Damaraes Alves, a Comissão de Mortos e Desaparecidos Políticos vai expedir no fim de agosto a certidão de óbito do ex-militante de esquerda Fernando Augusto Santa Cruz de Oliveira, pai de Felipe Santa Cruz, presidente da OAB, que morreu vítima da ditadura.

Segundo a coluna Radar, da revista Veja, a certidão reconhecida em cartório, com o reconhecimento do Estado pela sua morte, terá as circunstâncias em que se deram e também o pedido oficial de desculpas aos familiares.

Presidente da Comissão de Mortos e Desaparecidos, a procuradora Eugênia Gonzaga criticou a fala feita por Jair Bolsonaro (PSL), que fez ameaças e declarou que se Felipe quiser saber ele conta como seu pai morreu durante a ditadura.

“Como qualquer presidente, ele [Bolsonaro]  tem o dever de revelar esses fatos. É constrangedor usar um débito tão grande como esse tema para de algum modo difamar e prolongar sofrimento de familiares”, criticou Eugênia, em entrevista à publicação.

 

*Bahia Notícias