Fux determina que mensagens hackeadas não sejam destruídas; STF guardará cópia

 

O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF) determinou, nesta quinta-feira (01), que as mensagens de autoridades que foram hackeadas não sejam destruídas. Na semana passada, o ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sérgio Moro, afirmou que destruiria as mensagens, pois foram obtidas de forma ilícita.

O Supremo julgou o caso após um mês de recesso. De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, os ministros do STF afirmaram que a decisão de destruir ou não o material não cabe a Moro. O pedido pela não destruição foi feito pelo PDT, partido do ex-candidato à presidência da República Ciro Gomes.

Apesar de ter decidido pelo não descarte, o veredicto de Fux ainda precisa passar por referendo do plenário do Supremo, que é composto pelos 11 ministros. O ministro também pediu que o STF detenha acesso a todo o material, de forma sigilosa.

Há quase dois meses, o site The Intercept Brasil começou a publicar uma série de reportagens que inclui mensagens trocadas entre procuradores da Lava Jato, e o então juiz Sérgio Moro. A série foi denominada “Vaza Jato”.

No dia 24 de julho, um dos hackers presos pela polícia federal confessou ter obtido acesso à conta do Telegram do ministro da Justiça, e passou todo o conteúdo obtido para o jornalista Glenn Greenwald, do Intercept.

 

*Bahia Notícias