Segurança de bar morto a tiros após discussão com clientes em Feira de Santana é enterrado

O segurança Wilker Correia da Costa, de 24 anos, que foi atacado a tiros após uma discussão com clientes do bar onde trabalhava, no fim de semana, na cidade de Feira de Santana, a cerca de 100 km de Salvador, foi enterrado na tarde desta segunda-feira (17).

Dezenas de amigos e familiares da vítima compareceram à cerimônia, incluindo o pai do jovem, Nelson Costa. De acordo com ele, Wilker Correia cursava direito e tinha muitos planos para o futuro. Nelson pede justiça.

“Ele falou: ‘Painho, passei em todas as matérias’. E no momento em que estava começando um pouquinho a vida, a tragédia aconteceu. O que eu desejo é o que, talvez, todos os pais desse país desejam: justiça. Justiça tem que ser feita, porque tirar a vida de uma pessoa, um trabalhador, um estudante de direito, é muito duro”, disse Nelson.

O crime ocorreu na noite do último domingo (16), na porta do bar, na Avenida Fraga Maia. Imagens de câmeras de segurança da região mostram a ação. Nas imagens, o segurança aparece em pé, mexendo no celular. Em seguida, um homem armado se aproxima, atira diversas vezes na direção da vítima e foge. Pessoas que estavam na frente do bar ficam desesperadas e correm, para escapar dos tiros.

Uma mulher que estava no local foi baleada. Ela foi socorrida para o Hospital Geral Clériston Andrade, em Feira de Santana, onde segue internada nesta segunda-feira. Não há detalhes sobre o estado de saúde da vítima.

De acordo com a Polícia Civil, o crime teria sido motivado por conta de uma discussão entre o segurança e um casal que estava em uma festa no bar.

“A investigação preliminar nos revelou que esse casal queria sair sem pagar da festa, foi contido e houve uma discussão que culminou, inclusive, com uma agressão entre a moça e o segurança”, disse o delegado Fabrício Linard, da Delegacia de Homicídios de Feira de Santana.

Ainda segundo o delegado, o suspeito que aparece no vídeo e os outros envolvidos na confusão estão sendo identificados. Nenhum deles havia sido preso até a publicação desta reportagem.

“O trabalho de identificação já está praticamente concluído. Já temos quase todos os nomes do grupo que estava envolvido nessa confusão. Em questão de horas nós já teremos a qualificação total das pessoas envolvidas no caso”, contou o delegado.

*G1