Comandante da PM-BA reitera operação normal e critica ‘terrorismo’ feito por ‘oportunistas’

Comandante da PM-BA reitera operação normal e critica 'terrorismo' feito por 'oportunistas'

Foto: Reprodução / Facebook

Comandante-geral da Polícia Militar da Bahia (PM-BA), o coronel Anselmo Brandão reiterou na noite desta quarta-feira (9) que as tropas trabalham normalmente no estado. Durante transmissão do governo do estado nas redes sociais, Brandão ainda atribuiu os atos de vandalismo que aconteceram durante a madrugada às fake News e ao “terrorismo” de simpáticos à ideia da paralisação dos policiais.

“Se não fossem as fake news, o terrorismo… Às 18h a cidade estava em total normalidade. E, de uma hora para outra, surgiu esse anúncio de um movimento paredista. Quando surgiu o movimento, surgiram os boatos. E aí, os oportunistas, que infelizmente ainda existem, como aconteceu no passado, a primeira coisa foi praticar atos de vandalismo. Nesses atos, atuamos forte. E vamos continuar atuando, inclusive com o setor de inteligência, para identificar e punir essas pessoas que estão levando essa intranquilidade para a cidade”, declarou.

Segundo o comandante-geral, atos de vandalismo não foram identificados nesta quarta-feira no estado. Ele ainda informou que houve “diversas prisões” durante a noite da última terça-feira (8), inclusive com apreensões de armas. “Continuamos operando normalmente”, garante.

Durante a transmissão, ele seguiu na linha de atribuição dos atos de vandalismo a “pessoas oportunidades”. “Temos que estar com alerta máxima quanto às pessoas oportunistas. E alguns atos, nós percebemos que foi proposital, justamente para causas terror. Imagens de pessoas descendo de uma moto e Atiram num coletivo sem ninguém, num banco que não tem ninguém, só mesmo com objetivo de dizer que a cidade está sem policiamento”, pontuou.

No caso dos tiros disparados por dois homens a uma agência da Caixa Econômica Federal na Avenida Caminho de Areia, na Cidade Baixa, em Salvador, Brandão indicou que haverá investigação da Polícia Federal (PF) (leia mais aqui).

Fonte: BN




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *