Gleisi cobra explicações da PF sobre confronto; nove ficaram feridos

© REUTERS/Leonardo Benassatto

A presidente do PT, Gleisi Hoffmann, disse que saiu da PF, na madrugada deste domingo (8), pedindo explicações sobre a ação dos agentes contra os manifestantes em frente a sede, em Curitiba. Ela cobrou preparo das autoridades para receber os apoiadores de Lula, que, diz ela, farão vigília nas redondezas até que Lula seja solto.

Gleisi informou também que não se encontrou com o ex-presidente, mas disse que soube pela PF que ele chegou bem e tranquilo. A PM paranaense informou que ao menos nove pessoas tiveram ferimentos leves durante o confronto, entre elas três crianças e um policial. Ambos foram levados ao hospital.

Segundo informações do Tenente-Coronel da PM paranaense Mario do Carmo, a iniciativa começou porque duas bombas dos manifestantes explodiram um pouco antes, quando chegava o helicóptero Carmo diz ainda que os manifestantes avançaram contra um portão.

Houve correria e os manifestantes se dispersaram. A PM permanece perfilada em uma rua nas proximidades e parte dos manifestantes segue no local. Não houve violência por parte dos manifestantes antes da ação.

Muitos se penduravam na grade da superintendência, mas a PM não havia feito alertas. Os simpatizantes planejavam manter uma vigília com barracas em um dos acessos da PF. Com informações da Folhapress.