Missa de Marisa Letícia deve destacar perseguição do Judiciário

missa em homenagem ao aniversário da ex-primeira-dama Marisa Letícia, que completaria 68 anos neste sábado (7), deve ser marcada pelo discurso de indignação do ex-presidente Lula, seu companheiro por 42 anos. Marisa Letícia Lula da Silva faleceu em 3 de fevereiro de 2017, aos 66 anos, vítima de um AVC, após uma série de acusações que a tornaram ré de duas ações penais no âmbito da Lava Jato, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. As acusações foram extintas após a sua morte.

Conforme relata a coluna Painel, da Folha de São Paulo, quem acompanhou o petista no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Paulo, onde ele se encontra desde que recebeu a ordem de prisão do juiz federal Sérgio Moro na quinta-feira (5), ele repete o discurso de que seria vítima de uma perseguição do Judiciário e do Ministério Público, a qual teria sido escancarada nos últimos dias.

A celebração promovida na manhã deste sábado (7) pelo Partido dos Trabalhadores no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Paulo, deve ser pautada pela alegada perseguição vivida por Marisa Letícia em seu último ano de vida. Como a expectativa do cenário político é que Lula se entregue após a missa para o cumprimento da ordem de prisão dada por Sérgio Moro, a cerimônia também deve ser marcada pela indignação do ex-presidente sobre o fato do Judiciário e do Ministério Público “botarem fogo no país” com o objetivo de prendê-lo.

 

*Notícias ao minuto