Estado de saúde de índia que foi enterrada viva piora; bisavó vai para Cadeia Pública

Foto: Abelha Táxi Aéreo

A índia recém-nascida que foi enterrada viva em Canarana, no Mato Grosso, teve seu estado de saúde agravado. Desde que foi resgatada por policiais, na noite de quarta-feira (6), ela está internada e agora recebe atendimento na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) neonatal, na Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá. De acordo com o G1 MT, o boletim médico divulgado na manhã desta sexta (8) aponta que ele está entubada e respira com a ajuda de aparelhos por ter sofrido uma insuficiência respiratória. Além disso, o hospital afirma que a menina teve um sangramento digestivo e uma infecção. Com isso, a criança vai passar por uma intervenção cirúrgica para colocar um cateter, que visa tratar da insuficiência renal. A bebê foi enterrada viva pela bisavó, a índia Kutsamin Kamayura, de 57 anos, que afirma ter seguido apenas um costume da comunidade indígena, uma vez que acreditou que a bebê estivesse morta. Em depoimento à polícia, ela afirmou que a criança não expressou qualquer reação ao nascer, apesar de ter caído no chão e batido a cabeça . A mãe da criança, uma adolescente de 15 anos, pariu no banheiro de casa e sofreu uma hemorragia. Após prestar depoimento à polícia, a jovem foi liberada. Já a bisavô da bebê foi encaminhada para a cadeia pública de Nova  Xavantina. O delegado à frente do caso, Deuel Paixão de Santana, disse que a Polícia Civil do Estado vai investigar um suposto envolvimento da mãe da índia recém-nascida e da avó no crime.

*BN