Damares cita violência contra mulher e diz que aconselharia pais de meninas a fugir do país

Ao comentar a situação da violência contra a mulher no Brasil, a ministra dos Direitos Humanos, Damares Alves, disse que, se tivesse que aconselhar pais de meninas, diria a eles para fugir do país.

Em fala divulgada nesta sexta-feira (15) pelo site da rádio Jovem Pan, a ministra fazia referência, segundo a assessoria do ministério, a uma reportagem de 2016 do jornal “O Globo” sobre relatório da ONG Save the Children. De acordo com o relatório, entre 144 nações avaliadas, o Brasil ocupava a 102ª posição do Índice de Oportunidades para Garotas.

“A gente vê aí um quadro que a gente vai precisar mudar. Veja só. Agora a gente recebeu uma pesquisa de que o Brasil é o pior país da América do Sul para criar menina. Meu Deus! O pior da América do Sul. Veja só. Se eu tivesse que dar um conselho para quem é pai de menina, mãe de menina, era ‘foge do Brasil’. Você está no pior país da América do Sul para criar meninas”, afirmou a ministra.

A assessoria da ministra informou que, se colocada fora de contexto, a fala da ministra “aparenta ser um conselho”, mas que, ao dar a declaração, ela estava apontando a “dramaticidade” da situação.

“Fora de contexto, a fala da ministra aparenta ser um conselho. Na verdade, ela chama a atenção para o problema, demonstrando a dramaticidade da situação atual, e, em seguida, aponta as soluções que serão apresentadas por este ministério”, disse a assessoria.

No áudio divulgado pela rádio, Damares disse que o número de meninas abusadas no país é “absurdo”. De acordo com a ministra, é preciso uma “revolução cultural” para combater a violência contra a mulher.

“Nós vamos ter que rever essa questão da proteção e defesa da mulher com uma grande revolução cultural, mas uma revolução cultural mesmo. Lá na escola. Não adianta eu fazer só a repressão”, disse Damares.

A ministra disse que a violência contra a mulher no Brasil é uma “triste realidade”, que precisa mudar.

“A violência não está só dentro de casa. A violência está na rua, está nos ônibus. É um país onde ainda os homens encoxam as mulheres dentro dos ônibus. É um país em que os homens passam a mão na mulher dentro do metrô. Isso é violência contra a mulher, atentado à dignidade da mulher”, afirmou Damares.

*G1