Sem mudança na Previdência, jovens trabalharão ‘até morrer’, diz Mourão

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, disse nesta terça (26) que a reforma na Previdência de militares não será feita por meio de Medida Provisória e afirmou que as mudanças nas aposentadorias permitirão que o país “deslanche para um novo momento”.

Segundo ele, as alterações serão encaminhadas por meio de projeto de lei que vai alterar cinco legislações.Na segunda-feira (25), o líder do governo na Câmara, Major Vitor Hugo (PSL-GO), afirmou que está sendo estudada a possibilidade de enviar como medida provisória a mudança nas regras de aposentadoria de militares. “É uma hipótese. Pode ser que seja feito desta maneira”, disse após reunião com líderes partidários na Câmara.

Ele disse que um projeto de lei complementar sobre o tema permitiria um debate mais amplo sobre o assunto. Mourão participou em São Paulo de um evento da indústria de armamentos e disse em discurso que a reforma previdenciária é a “primeira das nossas grandes batalhas”.

“Se esse governo não fizer nada, em 2022 o nosso país para. Vamos apenas pagar salários e aposentadorias. Não teremos mais recursos para custeio nem para investimentos.”

E continuou: “O sistema que nós temos hoje não passa de uma pirâmide financeira. Os mais velhos, como eu, vão receber. Os mais novos, como o general [João] Chalela ali, vai trabalhar até morrer. Viu, Chalela? Não tem reserva para você. Então, nós temos que mudar isso aí.”

*NM