‘Não foi acidente’, afirma MP sobre rompimento de barragem em Brumadinho

Com base em depoimentos prestados à força-tarefa que investiga o rompimento da barragem de Brumadinho, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) concluiu que o ocorrido em 25 de janeiro “não foi um acidente”. A informação foi divulgada pelo programa Fantástico, na noite do domingo (10).

De acordo com a reportagem, a Vale foi alertada em 2017 sobre os indícios de ruptura da barragem.“As investigações até o momento demonstram que não foi um acidente”, afirmou o promotor William Coelho.

Segundo a Vale, empresa responsável pela barragem, o que ocorreu em Brumadinho foi um acidente: “A Vale é uma joia brasileira que não pode ser condenada por um acidente”, disse, no dia 14 de fevereiro, o presidente afastado da mineradora, Fábio Schvartsman.

Ainda segundo o Fantástico, a história é bem diferente para a Polícia Civil e o MPMG. “A força-tarefa trabalha com o ano de 2017, em que já há demonstração de que a empresa tinha ciência de indício de ruptura da barragem”, falou o delegado Bruno Cabral ao programa.

O programa teve acesso ao depoimento da engenheira civil Cristina Malheiros, que era responsável técnica pela barragem. Ela disse ter participado de um evento da Vale, no fim de 2017. Na ocasião, ela mostrou que a barragem tinha uma margem de segurança muito baixa caso ocorresse uma liquefação.

*Bahia.Ba



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *