Bolsonaro: Quem escolhe o diretor-geral da PF sou eu, e não o Moro

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta quinta-feira que, “se quiser”, ele troca o diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo. E fez questão de deixar claro que esse profissional é subordinado a ele, não ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, que o escolheu para o cargo ainda na transição de governo.
Ao deixar o Palácio da Alvorada, Bolsonaro foi questionado por jornalistas sobre um tuíte feito por ele na noite de ontem sobre o tema. A mensagem dizia que “setores da imprensa que me acusam de interferir na PF, lembro que, de acordo com a lei 13.047/14, a escolha do Diretor Geral dessa exemplar instituição é de competência exclusiva do Presidente da República”.
“Se eu trocar [o diretor-geral] hoje, qual o problema? Está na lei que eu que indico e não o Sergio Moro. E ponto final. Qual o problema se eu trocar hoje ele?”, afirmou. “O Valeixo pode querer sair hoje. Não depende da vontade dele. E outra, ele é subordinado a mim, não ao ministro. Deixo bem claro isso aí. Eu é que indico. Está bem claro na lei, o diretor-geral.”
Ante a pergunta de uma jornalista sobre se pretende ou não trocar o diretor-geral, Bolsonaro respondeu : “Você vai ficar querendo saber”.
“Se é para não [ter] interferência, o diretor anterior, que é o que estava lá com o [ex-presidente Michel] Temer, tinha que ser mantido. Ou a PF agora é algo independente? A PF orgulha a todos nós, e a renovação é salutar, é saudável”, afirmou.

*Valor