Com reforma trabalhista, Petrobras não terá mais demissões voluntárias

© Reuters

O diretor de Assuntos Corporativos da Petrobras, Hugo Repsold, afirmou nesta quinta-feira (24) que, com o início da vigência da reforma trabalhista, a estatal não fará mais programas de demissão voluntária (PDV) e nem grandes concursos para contratar empregados.

Desde 2014, a companhia desligou cerca de 16 mil empregados em programas de demissão voluntária. Os processos tiveram o objetivo de adequar a força de trabalho da companhia aos novos planos de negócios após o estouro da Operação Lava Jato, que cortaram investimentos e trouxeram listas de ativos para vender.

“A reforma abre a possibilidade de negociação direta”, afirmou Repsold. Assim, a empresa poderá cortar quadros sem lançar mão de pacotes de benefícios para atrair interessados. Sobre os concursos, ele disse que a ideia é passar a contratar pequenos grupos quando houver necessidade de preencher vagas.

Repsold informou que sua área está elaborando um novo programa para organizar as contratações, chamado de Plano da Força de Trabalho (Plafor). O objetivo é fazer projeções sobre a demanda de contratações ou demissões sempre que houver revisão do plano de investimentos da companhia.

Até agora, disse ele, as contratações eram feitas de acordo com necessidade de cada novo empreendimento. Com informações da Folhapress.