Embraer e Boeing se unem para criar empresa encarregada de operação de aviões

Foto: Sgt. Batista / Embraer

A Embraer e a Boeing vão se unir para criar uma terceira empresa. O modelo de parceria entre as companhias vai resultar em uma encarregada para a operação comercial da fabricante de aviões. A parte militar do negócio, que travava a combinação das empresas, ficará de fora. De acordo com a colunista Miriam Leitão, de O Globo, a negociação evoluiu após a Boeing apresentar uma segunda proposta. “O governo quer que dê certo, ele torce para dar certo. Inclusive, eu me reuni com o CFO, o financeiro da Boeing e sua equipe e eu disse: ‘Encontre uma maneira, sejam criativos’. A gente aposta nesta parceria porque o mercado aeronáutico global está mudando e é importante tanto para a Embraer quanto para a Boeing”, disse o ministro Raul Jungmann, da Defesa. Segundo ele, o problema é que, se passar o controle para outro país, as decisões ficarão exatamente subordinadas a ele. “Por exemplo, se o Congresso americano amanhã decidir que não é de seu interesse o desenvolvimento de um reator nuclear […], se ele tem o controle da Embraer isso está rompido. Se ele resolve mudar o sistema de controle aéreo todo brasileiro, ele tem controle sobre isso”, acrescentou.

*BN