Entenda como médico viu câncer em jovem ao assistir programa pela TV

Reprodução

magine participar de um programa de televisão e receber o alerta de um telespectador de que você pode ter câncer. Foi o que aconteceu com a norte-americana Nicole McGuinness, de 32 anos, enquanto participava de um programa da emissora de TV americana HGTV.

Quem fez o diagnóstico enquanto assistia ao programa foi o otorrinolaringologista do centro médico de Nova York (EUA) Erich Voigt. Ao chegar em casa de mais um dia de trabalho, como de costume ele foi assistir ao Beachfront Bargain Hunt, programa que mostra famílias realizando o sonho de ter a casa de praia de ideal para o orçamento delas.

Porém, algo no pescoço de Nicole chamou sua atenção. “Estava relaxando, assistindo a imagens de belas casas de praia e sonhando acordado. Mas de repente notei o caroço. Logo pensei: ela deve ter um problema de saúde”, relatou ele.

Erich tentou achar a moça nas redes sociais, mas não obteve sucesso já que não tinha o sobrenome dela. Foi então que ele decidiu postar uma mensagem na conta do “Beachfront Bargain Hunt” no Facebook.

“Estava assistindo ao programa e percebi que essa mulher ter uma massa na tireoide esquerda. Ela precisa de um exame de imagem e de uma biópsia, Não sei se ela sabe, mas espero que seja benigno”, escreveu ele.

Quando a mensagem chegou a Nicole, ela decidiu procurar um médico e fazer alguns exames. Os resultados constataram a desconfiança de Erich: Nicole estava de fato com câncer.

“É um milagre que ele tenha visto isso pela televisão. Não sei dizer o quanto estou grata”, Declarou a americana, que agora está sendo submetida a tratamento.

“Como cirurgião da cabeça e do pescoço, sou treinado para notar esse tipo de coisa”, justificou o médico.

O encontro de Erich e Nicole foi realizado nesta semana no palco programa “Good Morning America”, da ABC. Eles dividiram um caloroso e emocionante abraço e Nicole o agradeceu “do fundo do coração”.

Análise da especialista

O CORREIO conversou com a cirurgiã especialista em cabeça e pescoço Rita Benigno para entender o caso inusitado. A médica explica que é comum para profissionais da área perceberem nódulos desse tipo. O fato de Nicole falar com certa frequência durante o programa também ajudou no diagnóstico. “Normalmente uma pessoa que é especialista na área está mais sensível a perceber estas lesões na face e no pescoço”, explica.

Segundo a especialista e membro da Cooperativa de Cirurgiões de Cabeça e Pescoço do Estado da Bahia (CCP-BA), a rouquidão é primeiro sintoma de algo a ser investigado. “Modificações na voz podem ser um sinais de alerta para algumas patologias tanto na tireoide como na laringe”, afirma. Nódulos são visíveis a partir dos dois centímetros e podem ser detectados no autoexame.

Autoexame

O câncer de tireoide é o oitavo mais comum na população feminina brasileira e 7 mil novos casos foram estimados em 2016, de acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer. O autoexame é simples de ser feito. Basta posicionar as mãos na região da tireoide, que está localizada na parte anterior do pescoço, acima do ‘gogó’. Com a mão devidamente posicionada, é necessário fazer o mesmo movimento que se faz ao engolir. Uma boa dica é beber água durante o processo e estar atento ao toque das mãos. Se houver algum nódulo, será percebido. Outra dica é aproveitar o banho para se observar e fazer o autoexame.

Ainda não existe uma faixa etária bem definida a partir de quando deve ser feito o exame com regularidade. Tudo que os estudos existentes demonstram é que a incidência deste tipo de câncer aumenta depois dos 30 anos.

Tratamento

Apesar de depender muito da situação, na grande maioria das vezes é recomendado a retirada completa da glândula.

Complicações

Apesar de ser um câncer muito difícil de levar à morte, em alguns casos mais graves podem deixar algumas sequelas. A principal, que acompanha os paciente acometidos por este tipo de câncer, é a reposição eterna do hormônio tireoidiano.

“Eu costumo dizer que esse hormônio é como a gasolina do motor do nosso corpo”, compara.

O câncer pode não matar com frequência, mas a não reposição do hormônio pode levar a um quadro de hipotireoidismo, o que pode levar à morte.

Além disso, a especialista afirma que quando o tumor fica grande ao ponto de invadir o nervo, o paciente pode apresentar um quadro de rouquidão pós-operatória, o que poderá ser temporário, ou permanente. Isso dependerá se o nódulo só estava muito próximo do nervo, ou de fato estava invadindo.

Só afeta mulheres?

Assim como o câncer de mama, o câncer da tireóide é mais comum em mulheres. Porém, isso não quer dizer que os homens estão imunes. Pelo contrário, os homens, junto às crianças e pessoas acima de 55 anos quando apresentam casos de câncer na glândula são motivo de maior preocupação.

Não se tem uma explicação lógica para isso, mas estudos realizados mostram que as mulheres têm maior predisposição ao câncer de tireoide e a tendência do câncer aparecer aumenta com a idade.

 

*Correio