Confronto entre militares da Venezuela e indígenas deixa 1 morto e 12 feridos

O presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, anunciou que confrontos com forças de segurança do ditador Nicolás Maduro deixaram uma pessoa morta e outras 12 feridas na fronteira entre Brasil e Venezuela. O local foi fechado desde a noite de ontem (21) por ordem de Maduro. A região de Santa Elena do Uairén, do lado venezuelano, teve o efetivo militar reforçado. A morte de uma mulher foi confirmada também pelo prefeito de Gran Sabana, Emilio Gonzáles, e pelo deputado Angel Medina, que fazem oposição ao governo de Maduro.

A vítima é Zoraida Rodriguez, da comunidade indígena Kumaracapay. Segundo Guaidó, dois soldados dispararam contra indígenas que protestavam em um posto de controle em apoio à entrada da ajuda humanitária. Os feridos estão sendo levados ao Hospital Délio Tupinambá, o único de Pacaraima, e ao Hospital Geral de Roraima, em Boa Vista.

*M1