Kim Jong-un pega trem para encontro com Donald Trump no Vietnã

 

Foto: Korean Central News Agency/Korea News Service via AP

O ditador da Coreia do Norte, Kim Jong-un, pegou um trem neste sábado (23) rumo ao Vietnã para encontrar o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. Os dois vão se encontrar entre quarta e quinta-feira em Hanói, a capital vietnamita.

A agência de notícias estatal da Coreia do Norte informou que Kim viajou acompanhado de um assessor e da irmã, Kim Yo-jong. Imagens do canal de televisão do governo norte-coreano mostram o líder em inspeção à guarda de honra pouco antes de pegar o trem na estação da capital Pyongyang.

Normalmente, as viagens de Kim são mantidas em segredo. Agências de notícias informaram que o trajeto de Pyongyang até a fronteira da China com o Vietnã, de cerca de 4 mil quilômetros, deve ser percorrido em aproximadamente dois dias (60 horas). Isso equivaleria a uma média de cerca de 66 quilômetros por hora, sem interrupções.

O The Guardian registrou o relato de que um trem verde e amarelo, parecido com o que Kim já usou no passado cruzando uma ponte na cidade de Dandong, na fronteira chinesa. Segundo a AFP, jornalistas foram afastados da ferrovia por forças de segurança e barreiras de metal impediam o acesso a 100 metros dos trilhos e das margens do rio da fronteira no momento da passagem dos vagões.

Os hóspedes de um hotel em frente à ponte fronteiriça tiveram que deixar o estabelecimento às pressas na sexta-feira. O motivo oficial foi uma reforma no hotel.

“O trem é longo e cruzou a ponte a uma velocidade menor do que um trem turístico, mas não há dúvida de que é por causa dele, há muita polícia”, declarou uma fonte sem se identificar a NK News, em referência Kim.

Os líderes dos Estados Unidos e da Coreia do Norte devem discutir, nesta semana, novos avanços na relação entre os dois países. Trump espera que o ditador norte-coreano dê mais garantias sobre o programa de desnuclearização do país asiático. Kim, por sua vez, quer que os EUA relaxem sanções impostas à ditadura comunista.

Trump e Kim se reuniram em junho do ano passado – meses depois de a hostilidade entre os dois líderes chegar ao ápice, com trocas de ameaças. No encontro em Singapura, ambos assinaram um acordo para avançar nas negociações de paz, incluindo o comprometimento da Coreia do Norte em acabar de vez com as armas nucleares no país.

*G1 – Editado por Blog do Valente