Feira: suspeito da morte de adolescente achada em saco se contradiz em novo depoimento

(Fotos: reprodução/TV Subaé)

O homem suspeito do envolvimento na morte da adolescente Bruna Santana Mendes, de 16 anos, encontrada dentro de um saco na cidade de Feira de Santana, interior da Bahia, mudou a versão dos fatos em um novo depoimento à polícia, na sexta-feira (13).

Segundo o delegado responsável pelo caso, Fabrício Linard, o suspeito identificado como Everton Rosa de Oliveira, de 24 anos, disse em depoimento no dia 26 de fevereiro que passou de carro de madrugada na rua em que a menina desapareceu, mas que estava com a namorada.

Já no novo depoimento, o homem disse que esteve na rua por volta das 22h45 e não de madrugada. O rapaz ainda alegou que não estava com a namorada, mas que teria ido para a casa dela e permanecido lá durante toda a madrugada com a mãe e as irmãs.

Ainda segundo o delegado, o suspeito teria prometido uma “recompensa” para que esta suposta namorada confirmasse a versão dele dos fatos, contudo, ele não disse qual seria a recompensa.

Everton foi o terceiro suspeito do crime a ser preso. O suspeito se entregou à polícia em três de abril, acompanhado de um advogado. Em depoimento, ele nega que tenha envolvimento com o crime, no entanto, a polícia afirma que existem várias evidências que comprovam que ele estava junto com os outros suspeitos no momento do crime. Além de Everton, os outros dois suspeitos do crime também foram presos, eles foram identificados como Deivison Jorge dos Santos e Éric Pereira Maciel.

Entenda o caso

A adolescente Bruna Santana Mendes, de 16 anos, saiu da casa da mãe, da cidade de Barro Preto, interior da Bahia, no início de fevereiro deste ano, para fazer exames médicos e tirar alguns documentos pessoais em Feira de Santana.

Ela estava na casa do primo e informou para mulher dele que iria se encontrar com um amigo no cinema no Shopping Boulevard, segundo a polícia. Quando a mulher do primo foi buscar a jovem no final da tarde, às 17h, não a encontrou e retornou para o bairro para localizá-la.

O amigo de Bruna foi ouvido e relatou que ao não encontrar a mulher do primo, a garota passou mal e disse que iria voltar para casa. Ele chegou a oferecer carona, mas ela se recusou, voltou com um motoboy e desapareceu.

Cerca de 15 dias após o crime, a vítima foi encontrada morta dentro de um saco amarelo na localidade conhecida como Anel de Contorno, que fica próximo ao bairro Jardim Cruzeiro, onde ela estava hospedada na casa do primo. De acordo com a polícia, o corpo de Bruna estava em estado avançado de decomposição. Ela foi achada apenas de calcinha e tênis, no entanto, uma perícia comprovou que a adolescente não foi vítima de violência sexual.

 

*VN