‘Faz tão mal quanto um carro’, diz Eduardo Bolsonaro sobre arma de fogo

                              Foto: Câmara dos Deputados

 

O deputado Eduardo Bolsonaro afirmou ontem (13), após o massacre em Suzano (SP), que as armas de fogo fazem tão mal quanto um carro, já que dependem da ação humana. Ele ainda rebateu o argumento de que o número de homicídios diminuiria com menos armas nas ruas, porque, segundo ele, o Estatuto do Desarmamento não reduziu o número de mortes no País.

“A minha crítica é que no Brasil deveria existir também um estudo sobre o uso defensivo da arma de fogo, e não apenas o uso agressivo. E a gente sempre vai na argumentação que a arma é um pedaço de metal. Faz tão mal quanto um carro. Ou seja, para fazer mal, precisa de uma pessoa por trás dela. Armas não matam ninguém, o que matam são pessoas. Pode usar pistolas, facas, pedras”, disse.

O deputado disse ainda que os crimes acontecem porque o criminoso sabe que a vítima não vai estar armada. “Enquanto as armas eram de mais fácil acesso, o número de crimes era menor”, defendeu.

Questionado sobre a declaração do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que afirmou que o porte de arma levaria a uma “barbárie” nessas situações, Eduardo disse que Maia tem “direito de ter sua opinião”.

*M1