Justiça inocenta prefeito de Candeias

Foto: divulgação

O Juiz eleitoral Tadeu Ribeiro de Vianna Bandeira julgou improcedente uma ação que pedia a cassação do prefeito de Candeias, Região Metropolitana de Salvador, Dr. Pitágoras (PP). Ele foi eleito em 2016 com 52% dos votos válidos. A segunda colocada, Tonha Magalhães (DEM), autora da reclamação, teve 47% dos sufrágios.. De acordo com o processo, o gestor era acusado de abuso do poder econômico, abuso dos meios de comunicação e captação ilícita sufrágio.

A coligação capitaneada por Tonha afirmou que a chapa de Pitágoras “comprou” o apoio político do PHS e do PRP. “Sustentou a parte autora que teria sido pago a ‘quantia de dois mil reais para cada um dos candidatos a vereador’ (sendo que a referida agremiação lançou 22 candidatos), e mais sete mil reais para o presidente da predita agremiação, perfazendo um total de R$ 49.000,00”, diz a peça.

Essa suposta compra, segundo o juiz, não ficou provada. “Não se pode perder de vista, de outro lado, que as campanhas eleitorais acirradas, frequentemente são marcadas por acusações mútuas, as quais muitas vezes se mostram verdadeiras, outras nem tanto, e portanto, exigem do julgador máxima cautela, uma vez que o que está em jogo é a soberania da vontade popular”, ressalta o juiz.

*M1




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *