Secretário explica como vai funcionar o projeto Zona Azul que já está na Câmara para tramitação, “vamos estabelecer um sistema via GPS”

O projeto Zona Azul, sistema que promete organizar o fluxo de estacionamento de veículos em Santo Antônio de Jesus já está na Câmara Municipal para tramitação, informa Clóvis Ezequiel, secretário de trânsito. Em contato com a Rádio Andaiá FM na manhã desta terça-feira (13), o secretário explicou que a lei 05/2018 autoriza o município a implantar o sistema de estacionamento rotativo, a contratar empresa via processo licitatório de concorrência pública para implantar e operar o sistema e também definir as áreas e tarifas. De acordo com ele, serão implantadas zona azul para veículos, zona verde para motocicleta e zona branca para embarques e desembarques em instituições como igrejas, hospitais, clínicas, escolas, farmácias, isto é, será reservada uma área em frente as instituições. “Não vamos implantar esse projeto, mesmo autorizado pela Câmara, sem audiência pública, sem ouvir a população, as sugestões. Não demarcamos áreas ainda porque a empresa que ganhar a licitação vai definir mais detalhadamente os locais. Pensamos na primeira fase ser na Praça Padre Mateus, Rua Rui Barbosa, Rua Sete de Setembro, Rua dos Correios, ou seja, as ruas do comércio. A segunda fase pensamos na entrada da cidade, Avenida Luis Argolo, Roberto Santos e a última fase na Feira Livre”, disse.

Como irá funcionar:

Segundo o secretário, os valores cobrados serão acessíveis a população. Serão implantados o sistema via cartão, onde as pessoas pagam por um cartão e tem que colocar no para-brisa do veículo e o sistema de parquímetro. “Vamos estabelecer um sistema via GPS, digital onde as pessoas tanto poderão compra o crédito para sua vaga via aplicativo do celular como também nos credenciados, assim como os monitores. Nós não estabelecemos a compra de vaga, pois a placa do veículo é que adquire, tipo, você compra 1h e gastou 15min no local, você pode utilizar o restante da hora em outro momento e local, isso garante rotatividade e economia”, pontuou.

Flanelinhas:

O secretário destacou que pretende garantir seguridade para a população e organizar a questão dos flanelinhas no centro do município. “É possível sim aproveitar a experiência das pessoas, agora claro que a gente quer seguridade para a população. A gente não pode estigmatizar a figura do guardador de carro como negativa, mas as práticas em si são complicadas até porque são vários tipos de comportamento, alguns são agressivos, então precisamos garantir seguridade e com regras as pessoas vão se adaptando, não podemos continuar da forma que está com cada um marcando seu território, estabelecendo critérios próprios e a população fica refém disso”, frisou.