Para Alexandre Garcia, “Delação premiada só tem que funcionar com provas que confirme as delações”