“A solução é condenar a mão que incendeia e mata a natureza botânica e animal”, diz Alexandre Garcia