Opinião: Guilherme Boulos convoca manifestação, mas manifestar contra o que?

Em vídeo divulgado no domingo (28) nas redes sociais, o presidenciável Guilherme Boulos (PSOL), que apoiou Fernando Haddad (PT) no segundo turno da eleição presidencial, anunciou que várias cidades brasileiras terão atos nesta terça (30).

O objetivo das manifestações é se contrapor ao discurso de Jair Bolsonaro (PSL), agora presidente eleito, que no último dia 21 prometeu “uma limpeza nunca vista na história desse Brasil , “varrendo do mapa os bandidos vermelhos do PT”.

No vídeo não foram especificados quais cidades terão manifestações. Em São Paulo, a concentração está marcada para 18h no vão livre do Masp (Museu de Arte de São Paulo),”Entre o exílio e a prisão escolhemos a rua”, disse Boulos.

PT

Seguindo orientação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva – que pediu calma na agenda de oposição – a corrente petista CNB (Construindo um Novo Brasil) vai sugerir que o PT não faça avaliação de conjuntura na reunião que ocorrerá nesta terça-feira (30), em São Paulo.

A presidente do PT, Gleisi Hoffmann (PR), convocou uma reunião com esse intuito.
Mas, após receber uma mensagem de Lula nesta segunda-feira (29), a CNB avaliou como precipitada a ideia de definir desde já uma agenda de oposição.

A CNB, corrente de Lula, fez uma reunião preparatória nesta segunda-feira. Ao deixá-la, o presidente do PT do Rio, Washington Quaquá afirmou que a tendência pedirá que essa avaliação seja adiada.

Para Quaquá, é prematuro qualquer protesto neste momento, já que Jair Bolsonaro (PSL) foi eleito. Segundo Quaquá, a oposição ao governo Bolsonaro tem que ser pontual, a começar pela proposta de reforma da Previdência.