Unicesumar aponta passo a passo de como escolher o curso certo para você; confira

Saber como escolher o curso certo está tirando o seu sono? Decidir qual a graduação fazer é importante, mas essa atividade não deve deixar você estressado com o peso da escolha.

Para ajudar nessa tarefa, preparamos este post com 9 passos para você saber como escolher o curso certo com confiança e tranquilidade. Confira:

1. Desenvolva autoconhecimento para saber como escolher o curso certo

Autoconhecimento é a base que você precisa para tomar decisões corretas e alcançar a realização pessoal.

Isso mesmo: sem autoconhecimento você dificilmente saberá como escolher o curso certo. Afinal, antes de definir qual graduação fazer, você precisa ter real conhecimento sobre:

  • Sua situação atual;
  • Seus pontos fortes e fracos;
  • Seu propósito, suas metas e objetivos;
  • As crenças que limitam seu potencial;
  • O que motiva e incomoda você – e o porquê disso.

“Mas o que isso tem a ver com a faculdade que vou fazer?” Tudo! Se você ignorar esse conhecimento e escolher uma graduação “às cegas”, provavelmente vai fazer parte do grupo de universitários insatisfeitos.

Imagine você se matricular em um curso e descobrir na metade dele (ou no final) que não é isso que deseja fazer na vida profissional. Imagine perder todo esse tempo e dinheiro investido para ter que lidar novamente com a decisão de como escolher o curso certo.

Nada agradável, concorda? Desenvolver autoconhecimento evita que isso aconteça e deixa você mais perto de como escolher o curso certo e, por consequência, da realização pessoal e profissional.

E como desenvolvê-lo para escolher a faculdade certa? Fazendo muitas perguntas. Mas não é qualquer questionamento! Você levantar pontos que ajudam a refletir sobre si mesmo, a conectar pontos da sua identidade e a compreender como se sente e pensa.

Veja alguns exemplos de questões:

2. Faça um teste de personalidade

Além de responder sinceramente às perguntas que acabamos de listar, descobrir qual é  seu tipo de personalidade faz a diferença na hora de escolher o curso certo.

Vamos ver um exemplo para ficar mais claro? Imagine que você fez este teste gratuito e descobriu que tem uma personalidade ENFP Diplomata — ou “Ativista”.

Isto é, você é um espírito livre, criativo, sociável e entusiástico, que sempre encontra um motivo para sorrir. Além disso, é bastante curioso e tem boas habilidades sociais, de observação e de comunicação.

Quem tem essa personalidade pode se identificar com uma ou mais profissões das seguintes áreas:

  • Artes;
  • Entretenimento;
  • Vendas;
  • Cuidados Pessoais;
  • Comunicação Social;
  • Ciências e Natureza;
  • Educação;
  • Saúde;
  • Negócios;
  • Serviço Social.

E o que isso quer dizer? Que uma personalidade ativista dificilmente se daria bem com áreas e profissões típicas de quem tem um perfil lógico, como comandante ou cônsul, por exemplo.

Curioso? Saiba que existem 16 personalidades diferentes divididas em grupos:

  • Analistas: arquiteto, lógico, comandante e inovador.
  • Diplomatas: advogado, mediador, protagonista e ativista.
  • Sentinelas: logístico, defensor, executivo e cônsul.
  • Exploradores: virtuoso, aventureiro, empresário e animador.

Você precisa descobrir qual é sua personalidade, conferir seus pontos fortes e fracos, além de pesquisar as áreas e carreiras que terá mais afinidade e facilidade para ser bem-sucedido.

Não pule essas duas fases de autoconhecimento! Dedique um tempo para se conhecer de verdade. Siga as próximas dicas de como escolher o curso certo somente depois dessas reflexões.

3. Informe-se sobre as diferentes áreas do conhecimento

Para saber como escolher o curso certo, você precisa ficar bem informado sobre as áreas do conhecimento. E elas vão muito além da famosa divisão e disputa entre Humanas, Exatas e Biológicas.

Na verdade, as áreas do conhecimento são divididas da seguinte forma:

  • Ciências Exatas e da Terra;
  • Ciências Biológicas;
  • Engenharias;
  • Ciências da Saúde;
  • Ciências Agrárias;
  • Ciências Sociais Aplicadas;
  • Ciências Humanas;
  • Linguística, Letras e Artes.

“Isso tudo?” Sim! Essa é a divisão oficial usada pelo Ministério da Educação. E se informar sobre cada uma dessas áreas vai deixar você mais seguro para fazer a escolha certa.

Ciências Exatas e da Terra

A Matemática é o coração desta área do conhecimento. Não importa a graduação que você escolher, os números e o cálculo estarão presentes nos seus estudos. Este campo usa a Matemática e o raciocínio lógico para testar hipóteses, fazer medições e predições, solucionar problemas e impulsionar o desenvolvimento tecnológico.

Alguns cursos dessa área: Matemática, Estatística, Ciência da Computação, Astronomia, Física, Química, Geografia, Geologia, Oceanografia e Tecnologia da Informação.

Ciências Biológicas

Em termos simples, este campo estuda a vida. Átomo, molécula, organela, célula, tecido, órgão, sistema, organismo, espécie, população, comunidade, ecossistema, biosfera: as ciências biológicas mergulham na diversidade da vida para entender como ela funciona.

Graduações dessa área: Ciências Biológicas, Botânica, Zoologia, Bioquímica e Ecologia.

Engenharias

Esta área usa conhecimentos científicos, práticos, sociais e econômicos para usar os recursos da natureza a favor do desenvolvimento humano. As engenharias caminham lado a lado das ciências exatas e da terra, usando a matemática, a química e a física em suas atividades.

Alguns cursos dessa área: Engenharia Civil, Engenharia Sanitária, Engenharia Elétrica, Engenharia de Transportes, Engenharia de Produção, Engenharia Mecânica, Engenharia Metalúrgica, Engenharia Química, Engenharia Nuclear e Engenharia Naval.

Ciências da Saúde

Ramo que estuda a vida, a saúde e a doença. Escolhendo um curso dessa área, você vai mergulhar nesses temas para aprender a realizar diagnósticos, indicar tratamentos e realizar acompanhamento de pacientes.

Graduações dessa área: Medicina, Nutrição, Odontologia, Farmácia, Enfermagem, Saúde Coletiva, Educação Física, Fonoaudiologia, Fisioterapia e Terapia Ocupacional.

Ciências Agrárias

Em termos simples, este campo estuda as diferentes atividades agrícolas visando descobrir métodos para manter um alto desempenho sem prejudicar o meio ambiente.

Alguns cursos dessa área: Agronomia, Gestão de Agronegócios, Engenharia Florestal, Engenharia Agrícola, Zootecnia, Engenharia de Pesca, Medicina Veterinária, Ciência e Tecnologia de Alimentos.

Ciências Humanas

Esta área do conhecimento visa compreender os relacionamentos que o ser humano estabelece para viver em sociedade. Busca-se saber o porquê disso, como o passado influencia os relacionamentos atuais, como o homem se relaciona com o próximo e com o mundo, como funciona a mente humana, como acontece o ensino e a aprendizagem e o que fazer para aprimorar esses processos.

Graduações dessa área: Filosofia, Teologia, Sociologia, Antropologia, Arqueologia, História, Geografia, Psicologia, Pedagogia, Ciência Política e Relações Internacionais.

Ciências Sociais Aplicadas

Campo que busca compreender as necessidades, os interesses e as consequências da vida em sociedade.

Alguns cursos dessa área: Direito, Administração, Turismo, Economia, Arquitetura e Urbanismo, Desenho Industrial, Ciência da Informação, Museologia, Comunicação e Serviço Social.

Linguística, Letras e Artes

Neste campo, estuda-se as habilidades que permitem o ser humano expressar seus pensamentos complexos.

Algumas graduações dessa área: Linguística, Letras, Artes Visuais, Música, Design e Dança.

Agora que você está bem informado sobre as áreas de conhecimento, precisa buscar informações sobre as carreiras no ramo que deseja atuar.

4. Pesquise as profissões do seu interesse

Saber como escolher o curso certo requer pesquisa em todas as fases dessa decisão. Buscar dados e informações sobre as profissões que você pode exercer depois de formado é indispensável.

Isso evita você acreditar em mitos sobre o curso e ajuda a ter uma ideia clara do cotidiano profissional, bem como das habilidades e competências que precisará desenvolver.

Vamos ver um exemplo para o curso de Letras? Existe uma crença de que todo formado em Letras vai obrigatoriamente se tornar professor. Essa mito pode afastar muitas pessoas que não desejam atuar no magistério, mas que possuem interesse e potencial em diferentes áreas dessa graduação.

Um profissional de Letras também pode seguir carreira como tradutor, editor, revisor, redator, autor de material didático, escritor, consultor de língua portuguesa e estrangeira ou roteirista. Pode trabalhar em agências de marketing e de publicidade, em editoras de livros, em instituições de ensino superior, empresas de tradução, emissoras de TV e rádio ou abrir o seu próprio negócio no ramo.

Viu como o destino de quem faz Letras não é seguir uma única carreira? O profissional pode escolher entre trabalhar dentro ou fora da sala de aula.

É por isso que pesquisar bem sobre vida profissional é importante: você conhece todas as alternativas que um formado no ramo encontra no mercado de trabalho.

Veja como pesquisar sobre as carreiras:

  • Descubra as áreas que o profissional pode atuar;
  • Leia sobre as carreiras que são possíveis de seguir em cada ramo;
  • Veja como é o dia a dia da carreira de seu interesse;
  • Verifique como funciona o ambiente de trabalho (como é a rotina, a relação entre colegas do ramo, o perfil dos profissionais e o clima no escritório);
  • Veja qual é a média salarial;
  • Descubra como são os horários (rígidos ou flexíveis);
  • Confira quais são as habilidades e competências necessárias ao profissional.

Depois de mergulhar nas possíveis carreiras, pesquise também sobre o mercado. Afinal, é importante verificar se você terá espaço para exercer a profissão sem passar sufoco.

5. Fique por dentro do mercado de trabalho

Saber como escolher o curso certo também exige uma busca por informações sobre o mercado de trabalho. Você não deseja investir em uma graduação para descobrir que a profissão e o mercado não têm boas perspectivas, concorda?

Você já pensou sobre as profissões que surgiram nos últimos anos – carreiras que nem imaginávamos que existiriam? E pensou também naquelas que deixaram de existir? E se a sua profissão não existisse amanhã?

Não escolha uma graduação antes de conhecer bem o mercado de trabalho atual e futuro. Veja o que fazer:

  • Leia pesquisas, relatórios e estudos sobre a área;
  • Fique por dentro das tendências atuais e futuras;
  • Assista a vídeos, reportagens e documentários sobre o ramo;
  • Converse com profissionais ativos no mercado de trabalho;
  • Descubra qual é o plano de carreira na área;
  • Verifique as previsões para o futuro desse mercado no Brasil e no exterior.

“Mas como encontrar todas essas informações?” O Google e o YouTube vão ajudar muito! Por exemplo, se você está interessado em cursar Marketing, busque sobre:

Fique de olho nas informações disponibilizadas por universidades, empresas do ramo pesquisado, empresas de recursos humanos e portais de negócios e carreiras.

Se quiser se aprofundar nessas pesquisas, busque notícias, relatórios e vídeos divulgados pelo Fórum Econômico Mundial, pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e pelas conferências do TED, por exemplo.

Com todas as informações levantadas até agora, você terá mais segurança para saber como escolher o curso certo e iniciar a pesquisa sobre faculdades e modalidades de ensino.

6. Conheça as modalidades de ensino

“Como escolher o curso certo: devo estudar presencialmente ou a distância?” Para solucionar essa dúvida, veja como funciona essas modalidades:

Presencial

Escolhendo uma graduação presencial, você terá aulas diárias na faculdade. Isso significa que terá que cumprir horários fixos para assistir às aulas, realizar provas e outras atividades no campus.

É uma boa escolha para quem tem disponibilidade de tempo para se envolver com as experiências universitárias. Esta modalidade permite o aluno interagir bastante com a comunidade acadêmica nas aulas, palestras, simpósios, seminários, oficinas e eventos culturais.

Além do tempo, um curso presencial exige um considerável investimento financeiro. As mensalidades costumam ser mais caras e o aluno precisa arcar com as despesas de materiais complementares, transporte e alimentação diária.

A distância

A educação a distância conquista cada vez mais alunos no Brasil: já são mais de 1,8 milhão de estudantes no país. Essa modalidade gera diversas vantagens aos aluno com seus três tipos de cursos: online, semipresencial e híbrido.

Em todos eles, o aluno estuda na plataforma de estudos e realiza as provas do semestre no polo EAD. No ambiente virtual de aprendizagem, o estudante assiste às aulas, faz exercícios, participa dos fóruns de discussão e lê materiais complementares das disciplinas.

O que muda entre esses cursos é a quantidade de vezes que o aluno comparece ao polo EAD.

Na graduação online, o estudante vai ao polo somente para realizar as avaliações uma vez por mês ou duas vezes por semestre.

Na graduação semipresencial, o aluno tem aulas no polo toda semana. Nelas, o estudante assiste às aulas, participa de atividades com a orientação do tutor e interage com colegas de classe.

Na graduação híbrida, o estudante tem aulas semanais e participa de aulas práticas quinzenais aos sábados em laboratórios equipados especialmente para o seu curso.

A modalidade EAD é uma boa escolha para quem deseja encaixar os estudos na sua rotina com facilidade, tendo flexibilidade para estudar a qualquer hora e lugar com acesso à internet.

7. Analise o curso do seu interesse

Antes de bater o martelo, é importante conferir todos os detalhes sobre o curso que você pretende fazer. Informe-se sobre:

Grau

Descubra se é um bacharelado, uma licenciatura ou um curso superior de tecnologia. Isso é importante porque a sua formação, as disciplinas, a duração e o campo de atuação profissional variam de acordo com grau.

Por exemplo, quem escolhe cursar uma licenciatura em Educação Física tem uma formação voltada ao magistério. Isto é, o aluno dessa graduação estuda para ser professor na educação formal.

Já quem fez um bacharelado em Educação Física não pode ser professor. Ele se prepara para atuar com esportes, lazer e saúde, podendo trabalhar em academias, clubes, hospitais, hotéis, reservas ambientais, hospitais, clínicas e empresas privadas.

Duração

O tempo que você passará estudando varia conforme o grau do curso. Os cursos superiores em tecnologia duram de 2 a 3 anos, os bacharelados de 4 a 6 anos e a licenciatura de 4 a 5 anos.

Grade curricular

Veja quais são as disciplinas que compõem a matriz curricular para saber qual é o enfoque do curso. Isso é importante para você ter a certeza de que vai estudar aquilo que está interessado.

Por exemplo, o foco do curso de Letras muda segundo o idioma estudado (inglês, espanhol, francês, entre outros) e o grau (bacharelado e licenciatura).

Material didático

Verifique qual é o material didático usado ao longo da graduação. Além dos livros, o que mais você precisará para estudar? A faculdade oferece algum material online de apoio?

No curso de Arquitetura e Urbanismo, por exemplo, o aluno precisa de outros materiais além de lápis, caneta, borracha, caderno e livros.

Ele com certeza usará pastas A3, tubos extensíveis e pasta maleta para guardar projetos, desenhos técnicos, croquis e outros materiais que produzirá nas aulas. E ainda precisará de outros acessórios importantes para as atividades dentro e fora da sala aula, como réguas, trena, transferidor, calculadora e bloco de papel.

Faça uma pesquisa para descobrir com antecedência o que precisará ao longo da faculdade e checar se a instituição de ensino fornece alguns dos materiais.

Estágio supervisionado

Não é toda graduação que exige a realização de estágio. Portanto, veja se você precisará fazer essa atividade.

Caso seja obrigatório, descubra quantos estágios, em quais áreas e quantas horas você precisará dedicar para isso.

Estudantes de Psicologia, por exemplo, devem realizar uma série de estágios para adquirir experiência em diferentes áreas. Já alunos de licenciatura em Letras geralmente fazem 400 horas de estágio.

8. Pesquise a instituição de ensino superior no MEC

Além de todas essas atividades para saber como escolher o curso certo, é indispensável verificar se a faculdade onde pretende estudar está com tudo em dia no Ministério da Educação (MEC).

Você deve buscar informações junto ao MEC para saber se a instituição está ativa, se o curso está regularizado e qual é a nota dos indicadores de qualidade.

“Mas como vou conseguir descobrir isso?”

Acessando a base de dados oficial do MEC, o e-MEC. Nesse sistema aberto à população para consulta online, é possível encontrar todas as informações sobre a regularização da instituição e dos cursos que oferece. Basta fazer uma consulta avançada pelo nome da faculdade.

Nessa pesquisa, você deve checar as notas dos seguintes indicadores de qualidade: ICG, CI, CPC. Veja o que significam essas siglas:

Índice Geral de Cursos (IGC)

Qualidade da faculdade. É isso que o IGC avalia com notas de 1 a 5. Quanto maior a nota, melhor: instituições com notas 4 e 5 são consideradas de excelência.

Conceito Institucional (CI)

É consultando o CI que você tem ideia sobre a qualidade das instalações físicas da instituição de ensino superior. O Ministério da Educação envia especialistas para realizar visitas de inspeção da infraestrutura, da gestão, do Plano de Desenvolvimento Institucional e outras atividades importantes para o funcionamento da instituição.

Conceito Preliminar de Curso (CPC)

Já a nota do CPC informa sobre a qualidade do curso oferecido. Assim como os outros indicadores, as notas variam de 1 a 5. Quanto maior a nota, melhor!

9. Confira as avaliações de alunos e ex-alunos

Veja o que alunos e ex-alunos estão falando sobre o curso e a faculdade: leia depoimentos de estudantes de cursos presenciais e a distância.

Se possível, converse com quem já está fazendo a graduação. Isso vai ajudar você a ter uma ideia de como é fazer o curso do seu interesse e estudar na instituição.

Pergunte:

  • Como são as aulas teóricas e práticas;
  • Como é estudar presencialmente ou a distância;
  • Quais materiais os alunos precisam;
  • Como são as instalações da faculdade;
  • Se existe laboratórios para o curso e como eles são;
  • Quantos estudantes as turmas têm em média;
  • Como são os professores;
  • Quais são as oportunidades e apoios aos alunos do curso;;
  • Como são os estágios supervisionados;
  • Como é o cotidiano do aluno do curso.

Viu como escolher o curso certo para você é uma decisão que deve ser bem pensada?

Não deixe a ansiedade e a pressa de conquistar um diploma universitário levarem você para a escolha errada: separe um tempinho para decidir com calma.

Seguindo as dicas deste post, vai tomar a decisão com confiança. Afinal, escolherá o curso certo baseado em informações confiáveis sobre você, a graduação e a instituição de ensino – e não em palpites.

Agora que já sabe como escolher o curso certo, que tal ficar por dentro da educação a distância? Saiba tudo sobre EAD, quais são as vantagens e a importância dessa modalidade de ensino!