Estudantes de Valença podem ficar sem transporte escolar

 Mais de mil estudantes de ensino médio da zona rural de Valença, a 247 km de Salvador, podem ficar sem ir às aulas por falta de transporte escolar. A prefeitura, que vinha custeando a contratação de prestadores de serviço, abriu mão da responsabilidade e anunciou a suspensão dos pagamentos, alegando que os repasses do estado são irrisórios e que o município não tem mais como arcar com o gasto. Ontem, centenas de estudantes deixaram as salas de aula de Valença para protestar contra a situação em frente à sede da Secretaria Estadual da Educação (SEC), em Salvador.

Fardados e munidos de faixas e apitos, os estudantes chegaram à capital por volta do meio-dia em dez ônibus e sete vans. Numa manifestação pacífica, pediram solução imediata para o impasse e foram recebidos, representados por uma comissão, pelo diretor administrativo e financeiro da Superintendência de Organização e Atendimento da Rede Escolar (Supec), Ednelson Mendonça. O prefeito de Valença, Cláudio Queiroz, também compareceu.