Eleição interna do PT baiano tem briga, prisões e resultado adiado

O chamado terceiro e último turno do Processo de Eleições Diretas (PED) do Partido dos Trabalhadores na Bahia manteve as mesmas “emoções” das duas primeiras disputas entre os candidatos Marcelino Gallo, atual presidente da sigla, e Jonas Paulo, que lutam pelo comando do Diretório Estadual desde o fim do ano passado. Com 89% dos votos apurados, Jonas Paulo contabilizava 7.835 votos (53,1%) e Marcelino Gallo tinha 6.926 votos (46,9%), segundo dados divulgados pelo partido. Jonas Paulo, ligado à corrente Reconstruindo o Novo Brasil (ex-Campo Majoritário), é o candidato apoiado pelo governador Jaques Wagner. Ele apóia a aliança do PT com o PMDB. Marcelino Gallo é o atual presidente do PT-BA e é da corrente Articulação da Esquerda. Além da batalha voto a voto, outros dois fatos marcaram a escolha do novo líder petista no Estado: a prisão de três pessoas suspeitas de furtar uma urna, no município de Medeiros Neto, extremo sul da Bahia, e a briga de militantes na sede do partido em Salvador, que acabou com a intervenção da Polícia Militar. Diante disso, a divulgação do resultado final do PED foi adiado para quarta-feira, 19.