Escreveu, não leu, é analfabeto !

Como citamos ontem aqui no blog, a situação do baixo nível de escolaridade entre os votantes e votados no Brasil está cada vez pior. O problema, na verdade, é tão grave que está dando até indeferimento em candidaturas de vereador.  Pois aqui eu pergunto – se um vereador eleito não sabe ler e escrever direito, como poderá apreciar e votar leis cujos detalhes nos artigos e incisos passarão a comandar a vida dos cidadãos nos municípios que representam? Neste aspecto, a lei eleitoral é clara: eleitores analfabetos podem votar mas não podem ser votados.  Foi pensando nisso que o juiz Válter José Vieira, de Poço Fundo – Minas Gerais, resolveu lançar uma prova para auferir o nível de escolaridade dos candidatos à vereador da cidade.  Na simples questão de ditado ( aquilo que a gente aprende no primeiro ano do primário, em outras palavras, um fala e o outro escreve ) 13 candidatos ( doze a vereador e um a vice prefeito ) se atrapalharam completamente e tiveram suas candidaturas indeferidas pelo juiz por considerar que eles simplesmente não sabiam escrever, nem precisaram passar pela prova de matemática.   Ainda cabe recurso da decisão do juiz.   E aí fica de novo, pra finalizar, aquele velho bordão: se a moda pega…