Senado aprova novo Código de Ética para senadores, más….

Através de um substitutivo do senador César Borges (PR), relator do projeto original, o Senado aprovou o novo Código de Ética da Casa, instituindo várias modificações sobre o funcionamento dos processos de quebra de decoro dos senadores. Uma das mudanças mais importantes do novo Código foi estabelecer o Conselho de Ética e Decoro Parlamentar como ponto inicial dos processos, o que era feito antes pela mesa diretora do Senado. Agora, caberá ao presidente do conselho decidir pelo arquivamento ou acatamento da representação, dando mais celeridade ao processo. No entanto, qualquer decisão pode ganhar recurso aos demais membros do conselho, se subscrita por cinco deles.

E dá exemplo contrário: Senado aprova criação de 81 novos cargos sem concurso

O presidente do senado diz que foi contra, mas com certeza não vai abrir mão de ter mais um assessor com este volumoso salário.

O Senado está autorizado a contratar 81 novos servidores comissionados para trabalhar nos gabinetes dos senadores e outros 16 para os gabinetes das lideranças dos partidos. Cada novo servidor não concursado ganhará R$ 9.979,24. São mais R$ 967 mil mensais a mais no orçamento do Congresso, pagos pelo contribuinte. O projeto foi assinado pelos líderes partidários e colocado em votação na tarde de ontem em reunião da Mesa Diretora do Senado por sugestão do primeiro secretário Efraim Moraes (DEM-PB). Hoje, ninguém quis assumir a paternidade do novo gasto. Terceiro secretário da Mesa, César Borges (PR-BA) também não quis falar sobre o assunto. Atravessou todo o túnel que liga o prédio principal do Senado ao prédio anexo repetindo que “não tinha nada a ver com isso” e que “perguntassem ao [presidente do Senado] Garibaldi”.