Candidato a vereador – já escolheu o seu?

Tem repercutido na cabeça dos candidatos a vereador pela Bahia afora a notícia veiculada por um conhecido diário de circulação estadual dando conta de pesquisa onde os eleitores da capital manifestaram quase total desinteresse em pesquisar a ficha daqueles que postulam uma cadeira no legislativo. Nada menos que 72% não escolheram seu candidato para compor a Câmara. Assim como em Salvador, a situação é práticamente idêntica, resguardando-se as proporções, também no interior do estado.  Apesar da má vontade do eleitor em decorar os números ou mesmo prestar mais atenção ao jingle do político, devemos frisar que existe no ato de escolher-se um representante para o Legislativo uma responsabilidade muito séria.  As câmaras de vereadores do Brasil estão repletas de maus exemplos, figuras que conquistaram o voto popular para depois jogar a reputação na lama envolvidos em negociatas e tramóias inúmeras.  É importante que o eleitor saiba peneirar para não deixar passar o candidato “lagartixa”, aquele que concorda com tudo que o prefeito diz, ou ainda o “rebelde sem causa”, que para chamar a atenção da mídia ao seu desempenho ( geralmente medíocre ) é capaz de criar caso até por causa da cor da gravata que um colega esteja usando na sessão.  Portanto, ao eleitor, cabe essa missão árdua: encontrar na lista do T.R.E um nome que reúna qualidades de compromisso com a causa legislativa, bons antecedentes, consciência dos problemas da classe que se dispõe a defender e ( cada vez mais indispensável ) boa conduta ética e moral.  Afinal, deles dependemos para que nossos interesses e recursos sejam fiscalizados e defendidos na casa do povo.