Dom Macêdo e Elísio Medrado com suspeita de fraude eleitoral

O jornal Atarde deste sábado trouxe uma matéria sobre 36 municípios baianos com indícios de fraude. Entre eles Castro Alves, Elísio Medrado e Dom Macedo Costa. Estes dois últimos já passaram por correição eleitoral feita pelo TER. Mas pelo visto os políticos destas localidades continuaram fazendo títulos de eleitores de cidades vizinhas. Em Dom Macedo por exemplo, segundo a projeção do IBGE o município conta com 3.818 habitantes e 3.153 eleitores. Em Elísio Medrado são 7.914 habitantes para 6.873 eleitores. Os municípios de Guajeru e Gongogi atingiram um eleitorado correspondente a 109,8% e 103,7% de seus habitantes. Em Guajeru, são 7.090 eleitores para uma população de 6.457. Já em Gongogi,  6.600 eleitores correspondem a 6.417 habitantes. Quando há a revisão no número do eleitorado, uma parcela dos eleitores é convocada a comparecer ao cartório eleitoral de sua cidade para comprovar o seu vínculo com o município. Caso falte, o título é cancelado. “Não chegamos a investigar, só supõe-se que tenha sido uma fraude (no cadastro)”, explicou Cynthia. O TRE lida com a hipótese de o eleitor se mudar da cidade natal, mas continuar com os vínculos eleitorais. “Quando eles têm família no município, têm propriedades, são vínculos que possibilitam ser realmente um eleitor. Nos casos de fraude, ele é levado para a cidade apenas para participar das eleições”, esclareceu a corregedora do TRE-BA.