Movimento de combate à corrupção eleitoral

O processo de corrupção parecia ter chegado ao seu ponto máximo no episódio do mensalão, quando um carequinha muito esperto organizou uma folha de pagamento com valores em torno de trinta mil reais mensais para que alguns nobres congressistas passasem a votar de acordo com interesses empresariais inconfessáveis. Naqueles anos do primeiro mandato de Lula só se falava em impeachment e fechar o congresso parecia uma solução viável. Por milagre ou por jeitinho brasileiro, não houve nada disso, mas uma lei desaforada foi aprovada para pelo menos tentar moralizar a prática política no Brasil. Trata-se da Lei 9840, que inspirou a criação do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral, e os Comitês 9840, formados por associações, ONGS, profissionais liberais, juízes, advogados e outras categorias que batalham no dia a dia por um país mais honesto e justo. Na tarde de sexta feira ( 01 ) esteve proferindo palestra no fórum de Santo Antônio de Jesus o procurador do Ministério Público Dr. Souza Filho que lembrou a necessidade de todos participarem dessa luta, denunciando desmandos durante a campanha eleitoral para evitar que cheguem ao poder indivíduos inescrupulosos, que não respeitam o patrimônio público quando gestores e que ( no caso dos já eleitos ) ainda buscam manter-se nos cargos para continuar dilapidando o erário e envergonhando a nação, isso sem falar em outros que se utilizam das velhas práticas de compra de votos, abuso de poder econômico ou aliança com poderosos e mafiosos em troca de financiamento de campanha. Se você tem conhecimento de algum desrespeito a Lei Eleitoral, entre em contato com o Movimento Nacional de Combate à Corrupção Eleitoral pelo e mail: [email protected] ou ligue ( 61 ) 3323-8713. Segundo o Dr. Souza Filho, atualmente os processos de impugnação são rápidos, desde que hajam provas dos ilícitos cometidos.