Morte de prefeito comove Nazaré das Farinhas

A morte do prefeito reeleito do município de Nazaré (a 216 km de Salvador), Clóvis Figueiredo Souza (PSB), de 63 anos, deixou a cidade de luto . A comoção tomou conta dos familiares, milhares de amigos e políticos da região que compareceram ao velório no salão nobre da Câmara de Vereadores, que ficou pequeno para tanta gente. O comércio local fechou as portas pela morte de Clóvis Figueiredo, prefeito por três mandatos em Nazaré. Clóvis Figueiredo morreu na noite de terça (28), por volta das 23h30, de aneurisma cerebral. Ele estava hospitalizado na UTI do Hospital Espanhol desde a última segunda-feira, dia 20, para tratar de problemas de pressão. “Durante a campanha eleitoral ele trabalhou normalmente, sem se queixar. Na segunda-feira, teve uma queda de pressão e ficou internado. Melhorou, mas devido a uma complicação, retornou para a UTI e o estado se agravou”, contou o presidente da Câmara de Vereadores e sobrinho do prefeito, Júnior Figueiredo (PSB), que até dia 31 de dezembro assume a prefeitura da cidade. Toda cidade parou para prestar homenagem ao mais ilustre filho da terra, que galgou um dos mais altos postos políticos e administrativos de Nazaré. O sepultamento do prefeito, que aconteceu às 16 horas, atraiu prefeitos de diversos municípios do Recôncavo baiano. “Ele contribuiu muito para a cidade como gestor honesto com a coisa pública. O povo o recebeu muito bem e vai dar continuidade ao legado dele”, afirmou a viúva, a professora Norma Lúcia Reis Souza.

Fonte A TARDE Cristina Santos Pita, da Sucursal Santo Antônio de Jesus