Moeda própria aquece comércio em comunidade de Vera Cruz

Já imaginou comprar leite por C 2,70? Traduzindo: duas conchas e 70 centavos? E um quilo de farinha por C 2, ou seja, duas conchas? Na pequena Vila de Matarandiba, parte do município de Vera Cruz (a 14 km de Salvador, via ferryboat), é possível graças à concha, uma moeda social complementar ao real, em circulação há alguns dias e criada pelo banco comunitário Ilhamar, implantado há oito meses.Na Vila Matarandiba, a concha vale mais que o real, e os moradores ainda ganham descontos de até 25% comprando no comércio local. À primeira vista, parece até dinheiro de brinquedo, mas não é. As cédulas da concha são encontradas em abundância no local, onde moram cerca de 600 pessoas. As cédulas possuem um desenho no verso como marca de diferenciação do valor. Para a de C 0,50 (cinqüenta centavos de concha), foi escolhido o Boi Janeiro, uma manifestação folclórica local; a de C 1 (uma concha) tem um caranguejo; a de C 2, uma marisqueira; a de C 5, um pescador jogando sua rede ao mar; e na de C 10, uma igreja católica tendo à frente uma mulher dançando o São Gonçalo, outra manifestação cultural da vila.(fonte: Atarde)