Uns falam em crise, outros nos empregos que aparecem

A conversa geral que temos ouvido nos últimos meses é sobre essa tal crise que tanto tem tirado o sono do empresariado.  Dizem os mais pessimistas que até o final deste ano serão cerca de cinquenta milhões de empregos perdidos.  Quem tem seus postos de trabalho vive na expectativa de acontecer o pior a qualquer momento. Parece o fim do mundo mas não é, pelo menos para nós brasileiros, já que nosso país vem sendo considerado o menos afetado pelo turbilhão da economia.  De forma geral algumas saídas tem surgido sinalizando que a coisa por aqui não está tão perdida quanto parece. Enquanto na Europa, Asia e Estados Unidos os países desenvolvidos já decretaram recessão, no Brasil se fala em crescimento de pelo menos três por cento este ano.  É bem verdade que as grandes multinacionais por aqui também demitem mas, por outro lado, a Petrobrás ( uma das grandes multinacionais do planeta ) anuncia investimentos bilionários para os próximos três anos além de novas descobertas de óleo e gás no litoral brasileiro.  Para nossa região, o cenário também não é tão pessimista: há a perspectiva de implantação do Pólo Naval de Maragogipe com investimento em torno de quarenta milhões de reais e geração de mais de dez mil empregos diretos. Isso sem falar na geração de empregos proporcionados pelas prefeituras e órgãos do governo que até agora anunciam com pelo menos mais duas mil vagas, muitas delas para a região de Santo Antônio de Jesus.  Ou seja: que há uma crise em curso, não há dúvida. Por outro lado, quem tiver capacitação, disposição e otimismo sempre estará em vias de começar de novo em outra função, até porque as oportunidades existem.