Ação popular pede adiamento do carnaval na Bahia

Um Carnaval que reúne dois milhões de pessoas nas ruas e camarotes. Foliões baianos, turistas de vários estados e países. No ano que vem, esta festa gigantesca pode ter o início adiado. Uma ação popular movida por uma professora de Valença pede a suspensão da data de início da folia, 11 de fevereiro, alegando que a aglomeração de pessoas pode aumentar o número de casos da Gripe A. A ação não sugere outra data. O documento está sendo analisado no Tribunal de Justiça da Bahia pela desembargadora Sara Silva de Brito, que deu prazo até 4 de outubro para que a prefeitura e os outros órgãos responsáveis pelo Carnaval apresentem contestação. A desembargadora não quis gravar entrevista. O presidente da Saltur, órgão municipal encarregado da organização da festa, disse que a data está mantida. ‘Nós não estamos cogitando a suspensão do Carnaval. Nós estamos trabalhando para realizar o Carnaval. Qualquer risco maior para a população, eu tenho certeza que os órgãos de saúde vão orientar, vão se pronunciar e a gente vai ter todas as ações necessárias para que a gente possa ter não só o Carnaval de 2010, mas todas essas festas realizadas em Salvador’, afirma Cláudio Tinoco, presidente da Saltur. Na Bahia, 175 casos da Gripe A foram confiramos até agora. Seis pessoas morreram. Quinhentos e quarenta e oito casos continuam sendo investigados. A direção da Vigilância Epidemiológica do Estado reconhece que em qualquer situação onde haja aglomeração de pessoas a possibilidade de transmissão de doenças é maior. Mas considera que até o Carnaval o risco de contrair a gripe A vai ter diminuído. ‘Por conta dessas condições ambientais, das condições climáticas, a tendência é que a gente tenha menos casos acontecendo a partir de agora. Então, não justificaria uma medida tão radical’, comenta Alcina Andrade, diretora da Vigilância Epidemiológica da Bahia.

Fonte: Ibahia