Festa do Divino agita Boipeba neste domingo

A festa do Divino Esp?rito Santo movimenta a Ilha de Boipeba, em Cairu (a 308 km de Salvador), ?nico munic?pio arquip?lago do Brasil, com 26 ilhas, localizado no baixo sul do Estado, que se prepara para receber neste domingo (15) in?meros visitantes. Cerca de 60 baianas v?o participar da Lavagem do Divino e um grupo de capoeira com 30 integrantes ser? respons?vel pela manifesta??o popular da festa, que ? tradicional no munic?pio e acontece sempre 50 dias depois da P?scoa, em comemora??o ? vinda do Esp?rito Santo sobre os ap?stolos de Jesus Cristo. A programa??o da festa ? um misto de eventos religiosos e folcl?ricos.
A Lavagem da Igreja do Divino Esp?rito Santo, que d? in?cio a festa, ? uma atra??o ? parte, a partir das 9 horas, com um cortejo de baianas percorrendo as ruas e entoando c?nticos do sincretismo afro-brasileiro. O ponto alto ? a prociss?o pelas ruas do povoado, com a participa??o de turistas e moradores que levam a imagem do Divino Esp?rito Santo at? a Matriz onde ser? presidida a missa de abertura da festa. A imagem do Divino participa de uma verdadeira peregrina??o pelas casas dos moradores.

Boipeba oferece um cen?rio favor?vel aliado ao grande potencial da cultura popular e contempor?nea fortalece os festejos ao Divino, que incluem novenas, manifesta??es folcl?ricas e religiosas. O evento tem como principal meta a visibilidade das ra?zes culturais dando enfoque ao resgate e fortalecimento das tradi??es e costumes locais, proporcionando uma grande celebra??o cultural, folcl?rica e religiosa nas comunidades para visitantes e turistas.
A Matriz do Divino Esp?rito Santo, data do s?culo XVII, possui no seu interior altares neo-cl?ssicos pintados de azul e amarelo. O teto da capela-mor ? abobadado, com pintura ing?nua representando o Divino Esp?rito Santo. A capela do sant?ssimo situa-se ao lado esquerdo, possui grade de madeira torneada e azulejos azuis e brancos com motivos figurados b?blicos. No momento possui pia batismal, algumas imagens e muitas alfaias guardadas em cofre particular. Da primitiva matriz com conserva-se a planta em cruz latina, portada e sacristia esquerda.