Peças sacras roubadas em casa paroquial

Pe?as sacras que fazem parte do acervo das igrejas de S?o Louren?o e do Sant?ssimo Sacramento, em Itaparica ? arrombadas recentemente ?, e que estavam guardadas na casa paroquial justamente para evitar nova a??o de ladr?es nas igrejas, foram roubadas na madrugada de quartafeira. Arrombaram o cadeado do port?o que d? acesso ?s janelas da casa.

Na janela do ?ltimo quarto, conseguiram arrancar as grades. Depois de vasculharem todos os c?modos, levaram seis casti?ais e dois ostens?rios de ouro e um casti?al de prata. Os objetos s?o tombados pelo Instituto do Patrim?nio Hist?rico e Art?stico Nacional (Iphan).

Al?m dos objetos sacros, roubaram mais de R$ 2 mil, dinheiro do d?zimo, um notebook, uma impressora, um rel?giodeouro eumdeprata, um teclado, m?quina digital, roupas de cama e banho novas e um microfone sem fio, al?m de alimentos que estavam no arm?rio da cozinha e na geladeira.

Com a greve das pol?cias Civil e Federal, o padre Jo?o Eduardo Paiva n?o p?de registrar queixa e at? ontem nenhuma per?cia foi feita no local. ?Liguei para a Diocese, quesepreocupouelamentou o ocorrido, mas na delegacia n?o pude registrar queixa. O Iphan prometeu enviar um t?cnico para avaliar os preju?zos?, contou. Segundo o padre Jo?o Eduardo, as pe?as roubadasestavamnacasa paroquial h? quatro meses e seriam restauradas. ?Nas igrejas de S?o Louren?o e Sant?ssimo Sacramento n?o havia mais nada, s? algumasimagenssemvalor comercial. S?o pe?as valiosas.

Ao que tudo indica, pode ser o mesmo grupo que arrombou as igrejas?, salientou o p?roco. A casa paroquial, localizada na Rua Santo Ant?niodosNavegantes, nobairro deSantoAnt?nio,possuiquatro quartos. Os ladr?es n?o pouparam nada. Reviraram cada gaveta dos arm?rios, sacolas e caixas nos c?modos.

Desprotegidos

?Precisamos de seguran?a para a comunidade e prote??o das autoridades para que tomem provid?ncias?, pediu o padre Jo?o Eduardo. A ousadia e a falta de respeito dos ladr?es deixaram o padre com muito medo. Segundo ele, a comunidade religiosa n?o sabe para quem apelar.

?Viajei no domingo ? noite porquenasegundafoiminha folga. Estava em Salvador fazendo exames m?dicos e retorneinaquarta. Por volta das 17 horas, entrei em casa e foi quando vi que estava tudo revirado. Somente a Pol?cia Militar esteve aqui?, contou o padre. Os vizinhos que moram pr?ximo ? casa paroquial contam que nada viram.

?Nessa madrugada, meu cachorro latiu muito, mais do que o normal. Mas n?o sa? para ver o que era?, contou a comerciante Karla Santana Santos, que mora em frente ? casa do padre. O aposentado Vital Souza diz que a cidade est? abandonada.?N?otemos seguran?a. ? preciso que o governo do Estado fa?a alguma coisa e que olhe mais para Itaparica?, salientou.

Cassim?lia Pedreira Barbosa da Costa, de 84 anos, faz parte da comunidade da Igreja Cat?lica em Itaparica. Desde os 8 anos se dedica aos trabalhos na par?quia. A casa dela, que fica em frente ? 19? Delegacia, em Itaparica, tamb?m foi arrombada no dia 9 de maio. Ela estava em Salvador.

Antes de arrombarem a porta da copa que d? acesso ? casa, os ladr?es envenenaram o cachorro, que foi encontrado morto por um vizinho no quintal. ?Vieram procurar mais imagens e pe?as da igreja, mas n?o guardo nada aqui. Como n?o encontraram, levaram joias de ouro, adere?os de diamantes, rel?gios e outros objetos de grande valor. Prestei queixa, mas ainda n?o vieram periciar a casa. Suspeitamos que os dois arrombamentos tenham liga??o?, disse. Dona Cassim?lia mora sozinha e os dois funcion?rios da casa trabalham com ela h? mais de 20 anos. ?S?o de minha inteira confian?a?, garantiu.

Greve da Pol?cia Civil prejudica a investiga??o sobre o arrombamento

Na 19? Delegacia de Itaparica, policiais e agentes est?o em greve. Os policiais disseram que o delegado titular, Jos? Magalh?es, est?emSalvador.

Procurado por telefone, o delegado n?o atendeu as liga??es.

Semterondebuscarajuda, o padre Jo?o Eduardo Paiva recorreu ? Pol?cia Militar.

Na casa paroquial, os militares anotaram os nomes das pe?as roubadas e vistoriaram a casa. ?Colhemos informa??es com o padre. Vamos tentar localizar algum objeto?, afirmouosoldadoPMMarcos Jos? Oliveira. Segundo o militar, a PM j? tem alguns suspeitos.

?Pode ser que sejam pessoas da comunidade?, salientou o policial.

O Iphan afirmou n?o ter responsabilidade sobre a seguran?a dos objetos tombados, que cabe ao propriet?rio.

De acordo com informa??es de Bruno Tavares, coordenadort?cnico e superintendente substituto do Iphan, o fato de as pe?as serem tombadas n?o significa ser da responsabilidade do ?rg?o garantir seguran?a. ?Tombamos o acervo, mas a responsabilidade pela conserva??o e seguran?a ? do propriet?rio dos bens?, afirmou. Segundo Tavares, cabe ao Iphan acionar a Interpol e a Pol?cia Federal em caso de roubo.?Enviamosumt?cnico para Itaparica que far? um laudo encaminhado ?s pol?cias Federal e Civil?, disse.

Trinta e quatro das 41 imagens, pe?as e objetos valiosos da Igreja de S?o Louren?o, constru?da em 1610 e que faz parte do conjunto hist?rico de Itaparica, foram roubados no?ltimo dia 18 de abril.Uma das pe?as levadas pelos ladr?es foi a imagem de S?o Elesb?o, talhadaemmadeira, com70cent?metrosdealtura, considerada uma rel?quia e de valor hist?rico por ser a ?nica que existe no Brasil.

No dia seguinte, 19, a Igreja do Sant?ssimo Sacramento tamb?m foi invadida por ladr?es, que levaram um ter?o de ouro, tr?s c?lices, patenas, uma lamparina, dois candelabros e outros objetos religiosos. Segundo o Iphan, as investiga??es continuam. ?Ainda n?o localizamos objetos roubados?, disse Tavares.