Operadoras liberam ligações ilimitadas para concorrentes

O mercado de telefonia móvel passou por muitas mudanças recentemente. Agora, na tentativa de conseguir clientes e fidelizar os antigos, a Claro, a Tim e a Oi liberaram ligações ilimitadas também para números de outras operadoras. A vantagem é disponibilizada para clientes de planos controle e de pós-pago acessíveis, de até R$ 100. A Vivo não tem essa possibilidade, mas lançou, na última quinta-feira, um serviço em que clientes de pré-pago e controle podem compartilhar, de graça, a internet do celular com amigos e familiares que também sejam clientes da empresa.

Nesta competição entre as operadoras, os clientes devem pesquisar e avaliar os serviços que atendam às suas necessidades. Na semana passada, a vigilante Ana Claudia dos Santos, de 31 anos, fez a portabilidade do seu número de celular:

— Eu ligo muito para outras operadoras e antes não tinha essa flexibilidade. Isso dificultava falar com meu filho e meu marido. Gostei desses novos planos e valores oferecidos pelas empresas — explica a moradora de Nilópolis, na Baixada.

egundo o diretor comercial da regional Sudeste da Tim, Carlos Cipriano, liberar as chamadas ilimitadas para números de concorrentes é uma tendência mundial:

— Isso atende às necessidades de mercado. O cliente ficou mais exigente, quer ofertas, serviços e qualidade.

Roberto Guenzburger, diretor de produtos, mobilidade e conteúdo da Oi, percebe que o consumidor de planos controle ou pós-pago não quer ter surpresas na conta:

— Ter ligações ilimitadas para outras operadoras dá mais tranquilidade de que a conta virá com o mesmo valor em todos os meses. Hoje, com esse cenário econômico e as dificuldades, o usuário quer ter previsibilidade no valor das suas contas.

Cresce a portabilidade

Mais de 2,57 milhões de portabilidades numéricas foram realizadas no Brasil no primeiro semestre deste ano, segundo a ABRTelecom (Associação Brasileira de Recursos em Telecomunicações). O volume de migrações cresceu em relação a igual período do ano passado, quando os usuários dos serviços de telefonia fizeram 2,18 milhões de portabilidades.

Nos primeiros seis meses de 2017, foram 389,34 mil mudanças apenas no estado do Rio, que concentra os DDDs 21,22 e 24. No total, 309 mil (79%) correspondem a usuários que trocaram de empresas de telefonia móvel e 80,33 mil (21%) de fixa.

Segundo a Agência Nacional de Telecomunicações, não há limitação quanto ao número de vezes que o consumidor pode usar a portabilidade. Caso a operadora antiga continue realizando cobranças indevidas após a troca e o consumidor pague a fatura, ele terá direito a ressarcimento em dobro do valor pago. Desde que a portabilidade numérica passou a ser possível no Brasil, em setembro de 2008, até o dia 30 de junho, 37,58 milhões de transferências foram feitas, sendo 13,37 milhões (36%) no fixo e 24,21 milhões (64%) no móvel.

Quer mudar de empresa? veja como fazer

Para transferência de operadora, o regulamento da portabilidade numérica orienta que o cliente procure a operadora para a qual quer migrar, informe o nome completo e comprove a titularidade da linha. Também é preciso informar o número do documento de identidade, o número do registro no cadastro do Ministério da Fazenda, no caso de pessoa jurídica, e o endereço completo. O consumidor também precisa informar o código de acesso e o nome da operadora atual.

Fidelização

A regulamentação da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) permite que, em telefonia celular, seja imposto ao consumidor o dever de fidelização à operadora de telefonia pelo período máximo de 12 meses, desde que seja dada vantagem para o cliente, como desconto na compra de aparelho, por exemplo. Se o usuário optar por trocar de operadora de celular ainda no prazo de fidelização terá que pagar uma multa pelo cancelamento antecipado do contrato.

Prazos

A partir do momento em que o usuário pede a mudança de operadora comunicando à empresa para a qual deseja migrar, a efetivação acontece em três dias úteis ou em data agendada pelo usuário. O cliente que desiste da migração e decide permanecer na operadora atual tem até dois dias úteis, após a solicitação de transferência, para suspender o processo.

Em caso de problemas

Para fazer reclamações sobre a mudança ou outros assuntos de telefonia, o cliente deve procurar a operadora e anotar o protocolo de atendimento. Se a companhia não responder ou se a resposta não for adequada, deve contactar a Anatel, pelo telefone 1331 ou pelo site. O usuário deve guardar o número fornecido e esperar o prazo de cinco dias para resposta.

*iBahia